in

Caso Henry: nova troca de mensagens entre pai e mãe é divulgada; ‘Podemos ver um psicólogo’

Leniel e Monique conversaram sobre contratação de psicólogo para o garoto.

Reprodução Globo / Arquivo pessoal Leniel / Reprodução Record TV

A morte do menino Henry Borel, de quatro anos, segue cercada por interrogações. No dia 7 de março, o pai dele, o engenheiro Leniel Borel, deixou o filho com a mãe, a professora Monique Medeiros, depois de passar o fim de semana com o garoto. Na madrugada do dia 8, Henry morreu.

Publicidade

A causa da morte não está totalmente explicada. Monique mora em um apartamento da Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, com o namorado, Jairo Souza Santos, o vereador Jairinho. Os dois estavam no local no dia da morte do garoto de quatro anos.

Laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou que Henry morreu em decorrência de laceração hepática e hemorragia interna causadas por ações contundentes. A Polícia Civil já ouviu mais de 10 testemunhas e tenta montar o quebra-cabeça do que pode ter acontecido com Henry.

Publicidade

Leniel e Monique trocaram mensagens

O RJ2, da TV Globo, exibiu novas mensagens trocadas entre Leniel e Monique. Os dois terminaram o casamento em outubro do ano passado, conforme Leniel contou em entrevista ao canal de Antonia Fontenelle, no YouTube. Em janeiro, ela deixou a casa no quintal da mãe, em Bangu, e se mudou para o apartamento na Barra da Tijuca para morar com Jairinho.

Publicidade

Publicidade

O psicólogo citado nas mensagens foi contratado pela mãe e pelo pai de Henry para acompanhar o garoto, que não gostou de se mudar da casa da avó, local em que havia piscina e espaço para brincar, para um apartamento. Henry morou meses no local até ser encontrado no chão do quarto da mãe, ser levado ao hospital e morrer.

Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!