in

Avó de Henry traz revelações e conta como encontrou filha no dia da morte do neto: ‘Mãe vem pra cá’

Menino de 4 anos morreu no dia 8 de março, horas depois de ser deixado com mãe em um condomínio no Rio.

Record TV

O caso de morte do pequeno Henry Borel Medeiros gerou forte comoção nacional e milhares de brasileiros aguardam o desfecho das investigações que apuram se o óbito se deu por um acidente doméstico ou houve uma ação criminosa.

Publicidade

Nos últimos dias, o delegado responsável pelo caso, Henrique Damasceno, titular da 16ª DP (Barra da Tijuca) vem ouvindo testemunhas importantes para a elucidação da ocorrência. Nesta quarta-feira (24), a avó materna do garoto, Rosângela Medeiros da Costa e Silva, prestou depoimento.

Também professora a exemplo da filha, ela disse conhecer o atual genro, o médico e vereador Dr. Jairinho (Solidariedade-RJ) há cerca de cinco meses e disse que ele costumava dar chocolates para agradar o neto, e até chegou a aplicar uma injeção quando o menino estava doente. 

Publicidade

Desolada

Ainda no depoimento, Rosângela disse que chegou a receber uma ligação da filha Monique Medeiros na madrugada do dia 8 de março, quando a morte da criança ocorreu. Segundo ela, a filha ligou dizendo: “Mãe, o Henry não está respirando!”. 

Publicidade

Após ter ouvido isso, a avó da vítima se dirigiu com outro filho ao Hospital Barra D´Or. Ela ainda revelou que durante o percurso, minutos depois da primeira ligação, Monique entrou em contato novamente: “Mãe, vem pra cá”. Em um curto intervalo, houve uma nova ligação, avisando a morte do menino.

Publicidade

Ao chegar na unidade hospitalar, Rosângela disse ter encontrado a filha “desolada” com a perda. 

Indagada pelos policiais sobre a causa da morte do neto, a professora informou que “pelo que soube” ele “teve um problema no fígado, uma hemorragia causada por uma queda”

Além da avó do garoto, Henrique Damasceno já ouviu as médicas que atenderam o menino no hospital, duas ex-namoradas de Dr. Jairinho, a faxineira que prestava serviço para a família e o legista que assinou o laudo pericial da necropsia de Henry. 

Publicidade
Publicidade