in

Paciente com suspeita de Covid-19 é atendido em maca do lado de fora de UPA por falta de leito; cena impacta

Devido ao cenário de lotação, homem ficou em área externa da unidade recebendo oxigênio.

UOL

Um homem com suspeita de Covid-19 passou a madrugada da última segunda-feira (22) recebendo oxigênio do lado de fora de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na cidade de Natal, por falta de leito. O paciente que não teve a identidade revelada estava aguardando pelo teste do coronavírus.

Publicidade

O registro da cena foi feito por outro paciente que estava na unidade. A forte imagem do homem deitado na maca na área externa evidencia o cenário de calamidade que o sistema de saúde da capital potiguar vem passando, principalmente nas últimas semanas.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Norte, o homem estava aguardando o resultado do exame para que fosse definida uma possível transferência para outra unidade hospitalar. O destino do paciente, no entanto, não foi revelado. Ainda segundo a pasta, diversos pontos de oxigênio foram disponibilizados em áreas externas das UPAs, devido à superlotação das unidades.

Publicidade

Caos

Em contato com a reportagem do UOL, a pediatra Alania Siqueira disse ter ficado impactada com a situação de uma UPA em Natal ao levar a sua avó para atendimento.

Publicidade

“Eu me desesperei com a quantidade de pessoas nos corredores em macas. O que mais a gente escuta é que não tem vaga. Os hospitais já eram lotados. Mas, agora, com a covid, as coisas pioraram alarmantemente”, disse Siqueira.

Publicidade

Números

De acordo com o último balanço divulgado, o Rio Grande do Norte acumula mais de 4 mil mortes em decorrência da Covid-19. O número de casos de infecção computados desde o início da pandemia já alcança a marca de 183 mil.

Por conta de todo o cenário vivenciado, o governo estadual decretou lockdown por 14 dias em todas as cidades. Até o dia 2 de abril, somente atividades tidas como essenciais possui o aval para funcionar. 

No último boletim epidemiológico divulgado, o Brasil amargou nas últimas 24h mais de 3,1 mil mortes por conta de complicações da Covid-19, o índice é o maior registrado desde o início da pandemia em solo nacional. Nas últimas semanas, o país acumulou um crescimento exponencial no quantitativo de novos casos e óbitos. 

Publicidade
Publicidade