in

Pai do menino Henry publica foto emocionante do filho e comove em desabafo: ‘O que houve?’

Menino de 4 anos morreu no dia 8 de março, horas depois de ser deixado com mãe em um condomínio no Rio.

UOL - PINTEREST - MONTAGEM

A morte do menino Henry Borel comoveu o país e a ampla repercussão do caso nos últimos dias vem provocando uma grande expectativa sobre o desfecho das investigações que apontará se houve crime ou o óbito foi provocado por um acidente doméstico.

Publicidade

Acompanhando as investigações de perto, o pai da criança, Leniel Borel, ainda se mostra bastante abalado pela perda do filho. Após passar o final de semana com o filho, ele entregou a criança para a mãe no condomínio onde ela reside com o atual companheiro, o vereador Dr. Jairinho.

Nas imagens das câmeras de segurança do condomínio situado na Barra da Tijuca, o garoto aparece bem ao lado do pai sendo entregue à mãe. Horas mais tarde, já durante a madrugada do dia 8, Henry foi levado às pressas a um hospital, mas não resistiu. A morte intrigou o país e vem sendo investigada profundamente pelas autoridades, principalmente após o laudo do exame apontar que a criança morreu por hemorragia interna e laceração hepática, provocada por uma ação contundente.

Publicidade

Desabafos

Nos últimos dias, o pai de Henry tem publicado algumas fotos do filho nas redes sociais, externando o sentimento de dor e saudade vivenciado nos últimos dias.

Publicidade

“O que houve com meu Henry? Papai sente muito a sua falta”, publicou o pai da criança. Em outra postagem, Leniel compartilhou uma foto do filho com amigos no último final de semana em que passaram juntos. “O último final de semana com meu filho foi maravilhoso. Poderia dizer que foi perfeito, se não fosse o final”, desabafou Leniel.

Publicidade

Nas publicações realizadas, o pai de Henry Borel vem recebendo comentário de amigos e pessoas que se sensibilizaram com o caso de morte da criança, que estão dando um apoio e enviando mensagens de conforto. 

Investigação

Nesta semana, a Polícia Civil ouvirá testemunhas importantes na apuração do caso. Ontem (22), o delegado responsável pelo caso fez oitivas de médicos, uma enfermeira e o legista que assinou o laudo pericial da morte da criança. Ao longo dos próximos dias, familiares de Monique e Dr. Jairinho devem ser ouvidos, bem como a psicóloga de Henry, que atendia o garoto após a separação dos pais. 

Publicidade
Publicidade