in

Manifestantes são presos após estenderem cartaz ‘Bolsonaro Genocida’ no Planalto

De acordo com parlamentares, os manifestantes foram enquadrados na Lei de Segurança Nacional (LSN).

Reprodução/Divulgação

De acordo com informações passadas por parlamentares do PC do B e do PT, ao menos quatro protestantes acabaram detidos na tarde desta quinta-feira, 18, após estenderem uma faixa com as palavras, “Bolsonaro Genocida”, em frente ao Palácio do Planalto, na Esplanada dos Ministérios. Os manifestantes foram levados para à sede da Superintendência da Polícia Federal, localizada em Brasília.

Publicidade

E não é só isso, além dos dizeres, o cartaz também exibiu a caricatura do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), com chifres e rabo. Na imagem, Bolsonaro aparece transformando o símbolo da saúde – uma cruz vermelha – em uma suástica nazista.

Alguns manifestantes detidos integram o grupo de militantes do PT. Após o ocorrido, os deputados Alencar Santana Braga, de São Paulo, e Natália Bonavides, do Rio Grande do Norte, afirmaram que já estavam a caminho do local.

Publicidade

De acordo com informações passadas por Bonavides ao Estadão, os manifestantes que penduraram o cartaz foram enquadrados na LSN (Lei de Segurança Nacional), por isso, teriam sido levados para a Polícia Federal, ao invés de para uma delegacia da Polícia Civil do Estado.

Publicidade

A deputada Jandira Feghali (PC do B-RJ) ressaltou o mesmo que foi informado por Bonavides, de que os protestantes teriam sido enquadrados na LSN. “Foram PRESOS”, disse Feghali ao comentar sobre a faixa.

Publicidade

Vale lembrar que recentemente a OACB (Ordem dos Advogados Conservadores do Brasil) divulgou através das redes sociais uma espécie de disque-denúncia para que os internautas reportem a eles sobre ofensas contra o presidente Bolsonaro. Na ocasião, a entidade ressaltou a intensão de processar todos que ofenderem o chefe do Executivo.

Publicidade
Publicidade
Publicidade