in

Jovem de 22 anos é o primeiro a morrer em filas de UTI em São Paulo

O jovem foi internado na quinta-feira (11) e faleceu dois dias após iniciar seu tratamento.

Foto: Reprodução/G1/Arquivo Pessoal

Nesta quinta-feira (18), o prefeito da capital paulista, Bruno Covas, declarou que uma pessoa foi a óbito devido a fila de espera para conseguir vaga em leitos de UTI. Essa foi a primeira morte na cidade de São Paulo por este motivo. O jovem Renan Ribeiro, de 22 anos, faleceu dois dias após dar entrada para o tratamento da Covid-19.

Publicidade

Bruno Covas informou que foi solicitado um leito de UTI através do Sistema Cross, que regula as vagas do SUS no estado. Contudo, quando houve a liberação já era tarde demais. A vítima deu entrada no Pronto Atendimento de São Mateus, localizado na Zona Leste de São Paulo, já em estado grave.

Renan Ribeiro ficou internado durante dois dias na UPA. De acordo com os dados médicos informados pelo estabelecimento de saúde, Renan deu entrada no hospital na quinta-feira (11) à noite, e passou por uma bateria de exames, sendo mantido em observação. Como já se encontrava em estado grave e necessitando de ajuda para respirar, foi solicitado um leito de UTI para acomodar o jovem.

Publicidade

Na sexta-feira (12) houve a solicitação ao Sistema Cross, e na tarde do último sábado (13), Renan Ribeiro veio a falecer devido à doença às 17h19. A vaga na UTI foi liberada às 17h38 do mesmo dia.

Publicidade

A mãe do jovem se encontrava desolada e disse que no dia que o filho foi internado, conversou com ele pela última vez, através de uma vídeochamada. “Não deu tempo por falta de socorro. Por falta de oxigênio, o meu filho não está aqui“, declarou Maria de Jesus, mãe do jovem.

Publicidade

Os hospitais na capital paulista já possuem cerca de 88% dos leitos de UTI, destinados ao tratamento da Covid-19, ocupados. No estado de São Paulo, cerca de 79 pessoas já morreram à espera de uma vaga.

Publicidade
Publicidade
Publicidade