in

Brasil fecha janeiro com recorde para o mês de janeiro em geração de empregos formais

Esse é o melhor resultado para o primeiro mês do ano; saldo de empregos gira em torno de 260.353 postos ocupados.

Foto: Marcelo Casal/Agência Brasil

Apesar do alto índice de desemprego, o Brasil fechou o mês de janeiro de 2021 com um saldo de 260.353 empregos formais, de acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), apresentado nesta última terça-feira (16) pelo Ministério da Economia.

Publicidade

Uma marca histórica para o mês de janeiro, sendo o melhor saldo já registrado. O saldo de 260.353 empregos formais é resultante de um total de 1.527.083 contratações e 1.266.730 desligamentos.  O saldo positivo foi notado em todos os setores da economia, entretanto, o setor da indústria merece destaque, pois gerou um total de 90.431 postos de empregos.

O saldo obtido no mês de janeiro de 2021 ficou acima do saldo do mês de dezembro de 2020, em que a geração de empregos ficou em torno de 142.690 postos de trabalhos ocupados.

Publicidade

Desse modo houve uma variação no estoque de empregos formais no Brasil. Essa variação ficou em torno de 0,66% em relação ao mês anterior. Para o Ministério da Economia, a modernização trabalhista foi uma das grandes responsáveis pelo aumento de postos de trabalho formais.

Publicidade

O Ministério da Economia ainda consagrou como bem-sucedido o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda. O programa visa a manutenção dos postos de trabalho buscando alternativas para evitar demissões. De acordo com o ministério, foi possível realizar em torno de 20 milhões de acordos trabalhistas através do programa, tendo participado desses acordos cerca de 9 milhões de trabalhadores e 1,5 milhões de empregadores.

Publicidade

Já em relação aos postos de trabalho com tempo parcial, o Brasil apresentou um saldo negativo de 610 postos. Trabalho em tempo parcial é aquele em que o período não exceda 30 horas semanais.

Publicidade
Publicidade