in

Brasil terá mais duas vacinas contra a Covid-19

Ministério da Saúde assinará contratos com a Pfizer e J&J até a terça-feira

Foto: STEPHANE MAHE/REUTERS

Devido à pandemia instaurada pelo novo coronavírus, o Brasil está sofrendo uma das maiores crises sanitárias e econômicas da sua história. O governo federal vem sendo criticado por todas as camadas da sociedade pela forma de como está conduzindo o país nesse grave momento.

Publicidade

O Ministério da Saúde confirmou que até a próxima terça-feira (16), irá assinar contratos com as fabricantes das vacinas Pfizer/Biontech e da Janssen (Johnson&Johnson). A vacina da Pfizer é o imunizante que tem a maior eficácia contra a infecção do novo coronavírus, por sua vez, o imunizante da Janssen é único que somente precisa de uma dose.

O imunizante da Pfizer, antes mesmo de ser utilizado em território nacional, já possui o certificado de uso definitivo aprovado pela Anvisa, já a vacina a Janssen, protocolou o uso emergencial na Agência reguladora e também obteve seu uso emergencial aprovado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Publicidade

De acordo com informações fornecidas pela Jovem Pan, as doses fornecidas pela Pfizer/Biontech chegará a um total de 100 milhões, que serão entregues no segundo e terceiro trimestre do ano de 2021. Já para a vacina da Janssen, o número de doses será consideravelmente menor, cerca de 38 milhões de doses, com entrega também prevista para o segundo e terceiro semestre de 2021.

Publicidade

Após muitas críticas, pois as negociações estavam se arrastando, o Ministério da Saúde resolveu agir. O ritmo de vacinação no Brasil está muito lento, comparado ao avanço da pandemia. A Organização Mundial da Saúde já alertou o governo brasileiro e afirmou que o país é o novo epicentro da doença.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade