in

Desaparecimento das crianças de Belford Roxo: MP encontra imagens inéditas e reviravolta acontece

Com falha na investigação, imagens de câmera de segurança são divulgadas e hipótese mais plausível é de captura dos meninos.

Reprodução: G1 - Globo / Fotomontagem por Vieira Filho

No dia 27 de dezembro de 2020, três crianças, Lucas Matheus, de 8 anos, o primo dele Alexandre da Silva, de 10 anos, e Fernando Henrique, 11 anos, desaparecem em Belford Roxo (RJ) ao saírem para jogar futebol no bairro Castelar. Desde o domingo do desaparecimento, a Polícia Civil investiga o caso e apura a participação do tráfico no local.

Publicidade

Regina, avó de Lucas Matheus e Alexandre da Silva, desde então, busca incessantemente pelos garotos e deixou seu emprego em uma casa de repouso para se dedicar integralmente à procura das crianças. 

De acordo com o delegado titular da DHBF, Uriel Alcântara, há uma linha de investigação que considera a possibilidade de assassinato dos meninos após um suposto roubo de uma gaiola de um parente de um traficante do Castelar, entretanto, não há nada comprovado.

Publicidade

Descoberta do Ministério Público

Na última quarta-feira (10), o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) identificou uma falha de investigação do caso: a identificação dos três garotos em uma imagem de câmera de um estabelecimento da rua Malopia, próxima ao local do desaparecimento, na data em que sumiram, dia 27 de dezembro de 2020. A falha na investigação decorre do fato de a Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBS) já ter apreendido da câmera de segurança, mas não ter sido capaz de identificar as imagens supracitadas.

Publicidade

Hipótese mais plausível

A proposta mais plausível, com a obtenção das imagens, é a de que os três garotos tenham sido capturados na região, no entanto, o caso segue sem desfecho e a situação das crianças ainda é desconhecida.

Publicidade
Publicidade
Publicidade