in

Especialista explica se aumento de crianças internadas tem ligação com a variante mais transmissível da Covid-19

A segunda onda da pandemia do novo coronavírus tem provocado recordes de mortes diárias no país.

Crescer

A pandemia do novo coronavírus assola a humanidade há mais de um ano. Infelizmente, a segunda onda da doença tem provocado um grande caos em muitos estados que já se encontram sem leitos de UTI para os pacientes graves que foram infectados com o vírus. O estado de Manaus passou por uma situação crítica no mês de dezembro do ano passado e acabou sendo descoberta uma nova variante da enfermidade que recebeu o nome de P.1.

Publicidade

Ao que tudo indica essa variante do vírus aparenta ser mais transmissível. A pergunta que muitas pessoas tem feito é: será que a variante pode afetar as crianças com mais facilidade, já que elas não eram alvos tão frequentes da doença até então?

De acordo com estudos realizados pela USP – Universidade de São Paulo juntamente com a University de Oxford e a Imperial College London, essa nova linhagem do vírus provavelmente é mais transmissível do que as outras e pode ter a capacidade de escapar da imunidade que foi adquirida, levando aos casos de reinfecção da doença.

Publicidade

“Nós descobrimos que a variante P.1 tem diferenças notáveis em comparação com as cepas que circulavam anteriormente em Manaus. Estimamos um aumento de 1,4 a 2,2 vezes na transmissibilidade e uma capacidade de escapar entre 25 e 61% da imunidade natural gerada pela infecção com cepas anteriores”, afirmou o médico Doutor Thomas Mellan, do Imperial College London.

Publicidade

O que tem acontecido no país é que o número de pessoas internadas por causa do novo coronavírus tem aumentado em todas as faixas de idade, inclusive nos pequenos. O especialista acredita que a doença não está acometendo mais as crianças de forma desproporcional. O médico acha que o atual quadro de mais crianças infectadas se deve a flexibilização e retomada das aulas presenciais em muitos locais.

Publicidade

O especialista ainda frisou sobre mais vírus respiratórios circulando, entre eles a bronquiolite, porém não acredita que em relação a Covid esteja havendo uma mudança importante.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.