in

Jovem é preso em flagrante após incitar possível atentado contra Bolsonaro em MG: ‘virar herói nacional’

Pessoas que responderam a publicação concordando com a ação também estão sendo investigadas.

ADRIANO MACHADO / REUTERS

Um jovem de 24 anos foi preso de flagrante na madrugada desta quinta-feira (4), em Uberlândia, após realizar postagens onde indiretamente incita violência contra o presidente Jair Bolsonaro, que visitou a cidade no dia de hoje. Analisando a publicação, a Polícia Militar classificou que João Reginaldo da Silva Júnior incitou crime contra a segurança nacional.

Publicidade

No Twitter, o jovem publicou a seguinte questão:  “Gente, Bolsonaro em Udia amanhã… Alguém fecha virar herói nacional?“‘, indagou o jovem.

Bolsonaro desembarcou no aeroporto de Uberlândia por volta das 9h desta quinta-feira (04), em uma parada que não estava dentro do cronograma da agenda oficial. O destino do chefe do Executivo foi a cidade de São Simão, situada no sudoeste de Goiás. No município, ele participou da inauguração de um trecho da Ferrovia Norte-Sul. 

Publicidade

Detido

De acordo com o boletim de ocorrência registrado pela PM, João Reginaldo foi localizado na residência onde mora com os pais. No momento da abordagem, o jovem confirmou a autoria da publicação e foi preso em flagrante. Conduzido até a Delegacia da Polícia Federal em Uberlândia, ele teve a prisão decretada pelo delegado federal Laerte Vieira Gonçalves, e na sequência foi levado para o Presídio Uberlândia I.

Publicidade

Segundo os familiares, a expectativa para que o jovem seja liberado, bem como é aguardada a orientação do advogado de defesa para o caso. 

Publicidade

Após uma varredura do serviço de inteligência, João foi localizado através da publicação feita nas redes sociais.

A postagem do jovem teve algumas respostas de internautas concordando com a ação de crime contra a segurança do presidente. Policiais militares chegaram a ir nas residências destas pessoas responsáveis pela respostas, contudo, ninguém foi encontrado. A Polícia Federal disse que dará continuidade às investigações, e que todos envolvidos podem ser autuados pelo mesmo crime. 

No depoimento à polícia, João Reginaldo afirmou que o post feito no Twitter não tinha nenhuma conotação de ameaça, mas apenas humor.

Publicidade
Publicidade
Publicidade