in

Mulher morre de doença da urina preta e irmã desabafa: ‘Não conseguia se mexer de tanta dor’

A empresária disse que também precisou ser internada por causa a infecção.

G1

Na última terça-feira (02/03), um caso triste gerou grande repercussão no Brasil. Uma jovem veterinária, de 31 anos de idade, acabou tendo morte confirmada depois de comer um peixe infectado e ser acometida pela chamada doença da urina preta.

Publicidade

Priscyla Andrade era moradora da cidade de Recife no estado do Pernambuco. Ela havia sido internada no último dia 18 depois de consumir um peixe contaminado por uma toxina. A ingestão do alimento provocou a síndrome de Haff, como é chamada a doença da urina preta.

Mesmo após receber os cuidados médicos, Priscyla não conseguiu resistir, para tristeza de sua família. Uma das pessoas que estão sofrendo com a morte da veterinária é a sua irmã, que recentemente falou sobre os últimos momentos da jovem.

Publicidade

Flávia Andrade, que é empresária e tem 36 anos, também consumiu o peixe infectado, mas teve sintomas menores do que a irmã. Ela conta que houve muito sofrimento por parte de Priscyla ao ser contaminada pela toxina.

Publicidade

Quando a gente foi socorrer Pryscila, ela estava com fortes dores, não conseguia se mexer de tanta dor. Ficou paralisada porque não conseguia nem que tocasse nela. Eu também comecei a apresentar os sintomas, fiquei da nuca para o quadril paralisada com muita dor, eu não conseguia mais andar“, relatou Flávia, que também chegou a ser internada.

Publicidade

Priscyla começou a relatar as dores pouco depois de almoçar com a família. O sintoma foi tão forte que a veterinária não aguentava que seu corpo fosse tocado para ser levada ao hospital. O caso da jovem está sendo investigado.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Aurilane Alves

Escrevo sobre os assuntos mais bombados do momento, famosos, curiosidades, notícias em geral.