in

Bolsonaro volta a criticar lockdown e diz que a medida criou o pânico: ‘Você não pode viver em pânico’

Em conversa com apoiadores, mais uma vez Jair Bolsonaro criticou a medida que vem sendo adotada por diversos estados em meio à pandemia.

Reprodução/Globo

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), que desistiu de um comunicado em rede nacional recentemente, diz que falará sobre a Covid-19 em seu próprio pronunciamento em cadeia de televisão e rádio.

Publicidade

Bolsonaro diz que o pronunciamento, quando acontecer, será sobre a pandemia e vacinas. A informação foi dada pelo chefe do Executivo na saída do Palácio da Alvorada na manhã desta quarta-feira, 3. Mesmo assim, o presidente optou por não prometer uma data para o comunicado, questionado sobre o assunto Bolsonaro de limitou a dizer: “vai ficar a dúvida aí“.

Em conversa com alguns apoiadores, o presidente lembrou que o Brasil é o país que mais vem vacinando a população, e ainda afirmou que novas doses da vacina contra a Covid-19 devem chegar ainda em março de 2021. De acordo com mandatário, deve chegar 22 milhões de doses da vacina em março e mais 40 milhões em abril.

Publicidade

Vale ressaltar que o emprenho de Bolsonaro na Campanha de Vacinação marca uma mudança do político. No ano passado, por diversas vezes, o presidente questionou sobre a segurança e eficácia das vacinas contra o coronavírus. No entanto, recentemente, o discurso do presidente sobre o assunto mudou e, além de fazer declarações favoráveis as vacinas, Bolsonaro afirmou ainda que os imunizantes são as maiores oportunidades de retomada da econômica no Brasil.

Publicidade

Bolsonaro disse que o Brasil está avançando em relação às vacinas e ressalta ter assinado uma Medida Provisória (MP) em 2019, deixando R$ 20 bilhões exclusivamente para a compra dos imunizantes.

Publicidade

Além de falar nas vacinas, o chefe do executivo comentou com os apoiadores sobre o lockdown e voltou a fazer críticas à medida que vem sendo tomada por diversos estados para conter a disseminação da Covid-19. O presidente afirmou que, com o lockdown, acabaram criando o pânico. “Você não pode viver em pânico”, avaliou Bolsonaro.

Bolsonaro diz que o lockdown trará novas consequências ao país e questiona se, com a medida, as pessoas iriam “morrer de fome, de depressão?”.

Publicidade
Publicidade