in

Grávida com Covid-19 é internada às pressas, fica intubada por 17 dias e desfecho é comovente

A gestante chegou no hospital passando mal, com um quadro grave de falta de ar, cansaço e febre.

Pais&Filhos

A Covid-19 continua fazendo grandes estragos na vida de milhares de pessoas. Infelizmente, muitas grávidas também morreram por causa do vírus ou ficaram em quadros considerados graves. Foi isso que aconteceu com Michele Spindola de Souza Freire, de 37 anos, que precisou ir às pressas para a emergência do CHN – Complexo Hospital de Niterói se sentindo mal. Ela estava com dificuldade respiratória, febre e cansaço.

Publicidade

Com 33 semanas de gestação, ela foi diagnosticada com coronavírus e já apresentava 75% do pulmão comprometido. Ela deu entrada na unidade no dia 25 de dezembro e teve uma piora no quadro logo depois da internação. Por causa disso, a equipe médica optou por interromper a gravidez na noite de Natal.

Durante uma entrevista concedida ao portal de notícias Pais&Filhos, Michele relembrou o drama que passou. “Quando cheguei no CHN, já estava tão mal que nem estava mais sã na hora. Lembro que os médicos estavam aflitos querendo me levar logo para o centro cirúrgico e de lá já não lembro mais nada. A médica falou comigo sobre realizar meu parto e disse que ia ficar tudo bem”, disse a mãe.

Publicidade

A coordenadora da maternidade, Daniela Gomes, que também foi a obstetra responsável pelo parto explicou que dependendo da idade gestacional fazer o parto prematuro é a melhor decisão, sendo uma opção tirar a criança para poder salvar a mãe. A criança nasceu pesando aproximadamente 2 kg e com 33 semanas. A profissional ressaltou que o parto foi difícil, mas eles contavam com todo suporte e profissionais preparados para a situação.

Publicidade

Depois do parto, o quadro de saúde da mãe era considerado grave e Michele ficou respirando com a ajuda de aparelhos por 17 dias na UTI lutando bravamente contra a Covid-19. A bebê também precisou lutar pela vida e ficou internada na UTI Neonatal.

Publicidade

Felizmente, a mãe se recuperou bem recendo alta no dia 14 de janeiro e a recém-nascida foi liberada 25 dias após o nascimento. Além da pequena Milena, Michele também é mãe do pequeno Pedro Guilherme, de 9 anos.

Publicidade
Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.