in

Após troca na Petrobras, Bolsonaro decide tirar Fábio Wajngarten do comando da Secom

Segundo o Folha de S. Paulo, Bolsonaro deve indicar o almirante Flávio Rocha para assumir o cargo de Wajngarten.

Agência Senado

Dias depois de ter anunciado a demissão do presidente da Petrobras, o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) também decidiu trocar o comando da Secom (Secretaria de Comunicação Social) da Presidência. Atualmente, o órgão é comandado por Fábio Wajngarten. As informações foram divulgadas em primeira mão pelo jornal Folha de S. Paulo.

Publicidade

De acordo com o jornal, Bolsonaro pretende indicar para o cargo o almirante Flávio Rocha, que atualmente comanda a SAE (Secretaria de Assuntos Estratégicos). No entanto, Fábio não sairá perdendo já que, com a troca, ele deve virar o assessor especial da Presidência da República.

Vale ressaltar que ultimamente o atual secretário da Secom não tem se dado muito bem com o ministro das Comunicações, Fábio Faria, já que a pasta em questão é subordinada. Além disso, o estilo explosivo de Fábio também tem desagradado outros membros do governo Bolsonaro.

Publicidade

E não é só isso. Vale lembrar ainda que Wajngarten é suspeito de peculato, advocacia administrativa e corrupção passiva, por ter sido sócio de uma empresa que mantém contratos com algumas empresas que receberam verbas da Secom. No entanto, o caso já foi arquivado pela Comissão de Ética da Presidência.

Publicidade

Depois de ter usado as redes sociais para anunciar a mudança no comando da Petrobras, Jair Bolsonaro foi cobrado pela Justiça. O juiz André Prado de Vasconcelos, da 7ª Vara Federal de Minas Gerais, determinou que o chefe do Executivo tem 72 anos para esclarecer o motivo da decisão. A decisão do juiz foi tomada como resposta a uma ação popular que foi impetrada pelos advogados Gabriel Senra da Cunha e Daniel Perrelli.

Publicidade
Publicidade
Publicidade