in

Pastor que quebrou as oferendas ’em nome de Jesus’ sofre primeira punição da Justiça

Religioso apareceu em um vídeo que viralizou nas redes sociais destruindo peças religiosas do candomblé.

UOL

Responsável por protagonizar um vídeo polêmico onde aparece destruindo oferendas religiosas do Candomblé, o pastor evangélico Gledson Lima foi indiciado pela Polícia Civil pelo crime de intolerância religiosa.

Publicidade

O caso aconteceu no início deste mês, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, e o vídeo viralizou nas redes sociais.

Após o ocorrido, o babalorixá Natan de Oxaguiã, do terreiro Ilê Àsé Babá Min Okan Fun Fun, acabou registrando o caso na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância. De acordo com a Polícia Civil, ao ver o pastor quebrar alguidares – objeto utilizado em rituais e trabalhos religiosos –  garrafas e ainda ofender a religião, os investigadores chegam à conclusão que o crime foi motivado por intolerância.

Publicidade

Nas imagens que se tornaram virais nas redes, o pastor Gledson Lima utiliza uma pedra para quebrar as objetos sagrados e profere os seguintes dizeres:  “quebrando em nome de Jesus”, “quebra de maldição”, “assim como essa pedra está quebrando, assim é a palavra de Deus”, disse o evangélico.

Publicidade

Por fim, Gledson ainda termina o vídeo convocando as pessoas para participarem do culto sagrado de sua igreja. 

Publicidade

Análises

Para investigar o caso, a delegada responsável por atender a ocorrência, Márcia Noeli Barreto, apreendeu os vídeos para avaliar as imagens. Ela ainda realizou perícia e colheu depoimentos do autor do crime, bem como da vítima. 

Os objetos destruídos pelo pastor Gledson Lima haviam sido colocados no dia 7 de fevereiro em uma área descampada, no alto de uma colina. Em entrevista ao portal UOL, o babalorixá Natan, lamentou o cenário de intolerância religioso, e afirmou que costumeiramente são perseguidos. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade