in

Idosos se apaixonam em plena pandemia e celebram união no asilo onde moram

A cerimônia de casamento foi restrita apenas aos moradores do asilo e familiares puderam acompanhar remotamente.

G1

O amor é um sentimento puro e sublime que pode acontecer a qualquer momento da vida, mesmo quando não se está esperando. E foi desta maneira surpreendente que dois casais acabaram se conhecendo em plena pandemia. “Fundamental é mesmo o amor, é impossível ser feliz sozinho”, essa linda frase está no convide de casamento de dois casais que moram em um asilo que fica na cidade de Contagem, em Minas Gerais.

Publicidade

Em plena pandemia de coronavírus, eles se viram longe dos familiares, mas acabaram se aproximando devido ao convívio diário e do afeto. Nesta última quarta-feira, 24 de fevereiro, Antônia Moura, de 81 anos, se uniu em matrimônio com Geraldo Bercia, de 69 anos. Da mesma maneira também se casaram Neide Antônia, de 68 anos e Rodrigo Antônio, de 84 anos.

Publicidade

A cerimônia de casamento ocorreu no asilo e participaram somente os moradores do local. A festinha teve direito a salgadinhos, docinhos e até mesmo o clássico bolo com os noivinhos no topo. Os familiares puderam acompanhar tudo de maneira remota. “Desde março do ano passado, eles não recebem visitas de familiares, da comunidade em geral, de amigos e eles tiveram mais tempo para prestar atenção uns nos outros”, explicou Ângela Campos, que é a diretora da instituição.

Publicidade

No total, vivem 60 idosos no asilo, sendo 33 homens e 27 mulheres. Antes de ter início a pandemia, os moradores do asilo sempre participavam de atividades dentro da instituição e também costumavam receber visita dos familiares. Contudo, devido ao vírus, desde o mês de março do ano passado foi necessário reduzir as ações no local.

Publicidade

Para evitar o contágio eles deixaram de receber visitas dos parentes e também de sair, sendo o contato feito apenas através de vídeochamada ou mesmo pelo portão.

Publicidade