in

Jovem de 23 anos, saudável e sem comorbidade, morre por Covid-19; pai desabafa: ‘não é uma brincadeira’

De acordo com o pai de jovem, ela era contadora e tinha feito uma viagem a trabalho.

G1

As mortes em virtude da Covid-19 é uma grande preocupação e desafio para a população. A doença costuma ser mais letal e apresentar complicações em pessoas do grupo de risco. Nesse grupo estão quem sofre com algum tipo de comorbidade, como os portadores de diabetes, pressão alta, cardiopatas e idosos acima de 60 anos.

Publicidade

Apesar desse grupo ser considerado mais frágil e propenso às complicações, pessoas mais jovens não estão imunes a apresentar qualquer tipo de problemas se contrair o vírus. Este foi o caso da jovem Isabel Aquino, de apenas 23 anos. Ela morreu neste último domingo, 21 de fevereiro em virtude da Covid-19, em João Pessoa, estado da Paraíba.

O pai da moça comoveu com um desabafo e aproveitou para fazer um alerta à população. Sandro Aquino lamentou profundamente a perda da filha e disse que ela não tinha nenhum tipo de comorbidade. “Tenham cuidado. A Covid-19 não é uma brincadeira. Falar dela é muito difícil diante da dor que estamos sentindo. Ela era uma filha linda, educada, inteligente e essa doença chegou de uma forma inesperada”, relembrou.

Publicidade

Ainda conforme o pai de Isabel, a filha trabalhava como contadora e chegou a fazer uma viagem a trabalho. Quando retornou a João Pessoa participou de um aniversário que aconteceu em um bar da cidade. Depois disso, a jovem começou a apresentar sintomas gripais e alguns dias após teve febre.

Publicidade

Com um quadro suspeito de Covid-19, a mulher procurou um hospital quando foi constatado que o pulmão estava comprometido entre 30 e 50%. Apesar disso, ela foi mandada de volta para se recuperar em casa. Passado dois dias, Isabel apresentou dificuldade respiratória e teve que ser internada na UTI – Unidade de Terapia Intensiva.

Publicidade

O quadro foi se agravando cada vez mais e Isabel chegou a ficar seis dias internada. Nesse período os familiares só conseguiam ver a jovem através de videochamadas devido ao agravamento da situação.

Publicidade
Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.