in

Justiça decreta prisão de pai adotivo, suspeito de matar 3 filhos em incêndio; vítimas ficaram presas em quarto

Ricardo Reis de Faria e Vieira foi detido após apresentar várias versões à polícia.

G1 | Divulgação

Um triste caso vem causando comoção na cidade de Poá, em São Paulo. Três irmãos faleceram na última quarta-feira (17), quando o quarto onde estavam foi atingido por um incêndio. De acordo com o site G1, os menores haviam sido adotados por um casal homoafetivo, que rompeu a união e mantinha a guarda compartilhada das crianças.

Publicidade

Gabriel Reis, de 9 anos; Fernanda Verônica, de 14; e Lorenzo Reis, de apenas 2 anos, foram encontrados carbonizados em um quarto na casa de Ricardo Reis de Faria e Vieira, um dos pais das crianças. Segundo informações da polícia, o cômodo possuía grades nas janelas e estava trancado. Uma vizinha teria ouvido pedidos de socorro e, ao ver as chamas, acionou uma equipe do Corpo de Bombeiros.

A polícia suspeita que Ricardo possa ter ateado fogo no quarto onde os filhos estavam, por não aceitar o fim do relacionamento com Leandro José Reis de Farias e Vieira, com que foi casado por cerca de 15 anos. Segundo Leandro, Ricardo tentava reatar o relacionamento há alguns meses, alegando que não fazia sentido viver sem a família unida.

Publicidade

Nesta quinta-feira (18), Ricardo Reis teve a prisão temporária decretada pela Justiça. O caso foi registrado como homicídio qualificado pela delegacia de Poá, e o suspeito deverá ficar preso por 30 dias para ser investigado. De acordo com Ricardo, ao perceber as chamas, ele tentou salvar os filhos, mas a porta estaria trancada.

Publicidade

A polícia passou a desconfiar de Ricardo devido às diferentes versões contadas na delegacia. O homem chegou a dizer que as crianças haviam sido raptadas e até mesmo que o incêndio teria sido provocado por Leandro, seu ex-marido. Familiares afirmam que as crianças eram muito amadas pelos dois pais.

Publicidade

Publicidade
Publicidade