in

Mãe de jovem encontrada morta em mata ficou em choque ao ver corpo da filha: ‘Falava que não era ela’

Ana Kemilli foi sepultada na manhã desta sexta-feira (12), sob forte comoção, em Campo Belo do Sul (SC).

G1 - Corpo de Bombeiros - Montagem

O crime de assassinato praticado contra a adolescente Ana Kemilli, de 14 anos, deixou moradores da pacata cidade de Campo Belo do Sul, em Santa Catarina, perplexos. Desaparecida desde a última segunda-feira (08), a jovem foi encontrada sem vida dois dias depois de intensas buscas. Com as mãos amarradas junto à uma árvore em região de mata, ela não apresentava sinais evidentes de ter sido alvo de violência ou violência sexual.

Publicidade

Nesta sexta-feira (12), horas depois do sepultamento da vítima, o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) informou que a morte da adolescente se deu por estrangulamento. Um dia depois do corpo dela ser encontrado, um adolescente de 15 anos, vizinho da vítima, confirmou participação na ação criminosa. Segundo as autoridades, ele teria sido visto com Ana, pouco antes do desaparecimento dela. 

Após o laudo, a Justiça determinou a internação inicial do suspeito, enquanto as investigações continuam. A Polícia revelou que o crime contou com a participação de um adulto, mas não trouxe detalhes para não atrapalhar a operação. 

Publicidade

Mãe desabafa

Em entrevista ao Universa, do UOL, a mãe de Ana Kemilli, Keli Taques revelou que precisou ser contida por outras pessoas para não ver o corpo da adolescente amarrada na árvore. 

Publicidade

“Eu entrei em estado de choque. Eu falava que não era ela”, disse a mãe de menina, bastante emocionada. 

Publicidade

O cruel assassinato da jovem deixou todos os familiares e amigos desolados, uma vez que a jovem não tinha problemas com ninguém e era bastante querida na comunidade. 

“A gente fica tentando achar motivo, razão para isso. Ela não tinha inimigos. Ela era maravilhosa, fiquei comovida porque era querida por todo mundo”, desabafou Keli Taques ao Universa.

Publicidade