in

Auxílio Emergencial: novo nome, curso, valores e quando iniciam os pagamentos; tudo sobre a possível extensão

Benefício atendeu 68 milhões de brasileiros no ano passado e movimentação tem sido intensa para mais uma prorrogação.

LESB

O retorno do Auxílio Emergencial tem sido um dos temas mais debatidos nos últimos dias. Antes contrário à decisão de uma nova rodada de pagamentos, o governo federal vem cedendo à forte pressão exercida por parlamentares e vem discutindo a prorrogação do benefício, que parece cada vez mais próxima de ser oficializada novamente.

Publicidade

Diante dessa forte possibilidade se cogita uma retomada do programa com algumas mudanças no que se diz respeito a valor, quantidade de pessoas atendidas e até mesmo novas exigências que poderiam surgir.

Veja um compilado apontando o que se sabe sobre a volta do Auxílio Emergencial.

Publicidade

Em termos de valores e volume de cotas há praticamente um consenso entre governo e Congresso. Segundo os jornais Folha de S. Paulo e O Globo, o projeto do governo prevê três pagamentos de R$ 200. Os periódicos também citam que somente metade do quantitativo de beneficiários devem ser atendidos nesta nova fase do programa, que inclusive pode até ter uma nova nomenclatura: BIP, e ainda exigir o cumprimento de um curso de qualificação profissional.

Publicidade

Prazo

De acordo com o O Globo, Bolsonaro objetiva anunciar a retomada do Auxílio Emergencial logo após o Carnaval, com os pagamentos sendo iniciados no mês de março. 

Publicidade

Mudança de postura

Nos últimos dias, o comportamento do governo federal frente à discussão da retomada do programa mudou drasticamente. Em seus discursos, o presidente Bolsonaro, e o ministro da Economia, Paulo Guedes, sinalizaram que há uma abertura para a volta dos pagamentos. 

“Devemos procurar uma solução para isso. Não passa apenas pelo presidente da República. Hoje conversei por telefone com o novo presidente da Câmara, devemos nos encontrar nas próximas horas”, disse Bolsonaro em evento realizado nesta semana no Palácio do Planalto.

Em entrevista ao programa Brasil Urgente, da TV Bandeirantes, o chefe do Executivo admitiu ao apresentador José Luiz Datena, a possibilidade de uma nova rodada de pagamentos. 

“Eu acho que vai ter, vai ter uma prorrogação”, afirmou o presidente. 

Publicidade
Publicidade