in

Menino de 4 anos e bebê de 10 meses sofrem tortura e pais são presos sob suspeita; detalhes geram revolta

Crianças foram resgatadas por uma equipe do Conselho Tutelar de Arapongas, no Paraná.

UOL

Mais um crime de tortura contra crianças chocou o Brasil nos últimos dias. Depois do caso do menino que foi encontrado acorrentado em um barril em Campinas (SP), a Polícia Civil de cidade de Arapongas, no Paraná, atendeu mais uma ocorrência revoltante: uma criança de 4 anos e outra de 10 meses foram encontradas com sinais de tortura. Os pais dos dois foram presos, mas a mulher, que está gestante, foi liberada. 

Publicidade

A ação da polícia ocorreu na última sexta-feira (5), após uma denúncia do Conselho Tutelar. De acordo com informações da Polícia Civil, a criança mais velha foi encontrada amarrada com um cadarço de sapato no tornozelo e se alimentava no chão. 

O menino foi encontrado pelo Conselho Tutelar com vários hematomas e cicatrizes no corpo, principalmente na região das costas. Segundo os policiais, a residência onde a família estava apresenta condições insalubres. As duas crianças foram resgatadas pelos conselheiros. Responsável pelo caso, a delegada Thais Orlandini Pereira, disse que a mãe das crianças está grávida de 33 semanas, ela foi liberada na última segunda-feira (08).

Publicidade

Pai nega

Em depoimento à polícia, o pai das crianças negou que agredia os meninos ou deixava um deles amarrado. O homem teve sua prisão preventiva decretada. “Não bato no meu filho, não sei porque os cadarços estavam amarrados”, disse o vendedor autônomo.

Publicidade

No relato, o homem disse que, enquanto a mulher trabalha em uma padaria, ele é quem cuida das crianças. Ele ainda alegou que a casa foi encontrada revirada pelo fato deles estarem se preparando para se mudar. 

Publicidade

Por fim, ele ainda rechaçou que não maltrata as crianças e que não passa de um suposto mal-entendido com a sogra, que, segundo ele, deseja a separação do casal. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade