in

Em meio à pandemia, governo do Maranhão construirá ‘módulos de encontros íntimos’ para presos

O governo do Maranhão fechou contrato com uma empresa de engenharia, que deve entregar 22 ‘módulos de encontros íntimos’ em dois meses.

Reprodução/TV Cultura

O Brasil vem enfrentando a segunda onda da pandemia do novo coronavírus, contudo, mesmo assim o governador do Maranhão, Flávio Dino, dispôs um tempo de sua agenda para fechar contrato com uma empresa de engenharia, que agora é a responsável por construir 22 “módulos de encontros íntimos” em 11 unidades penitenciárias do estado.

Publicidade

De acordo com informações da coluna de Cláudio Humberto, do Diário do Poder, o governo vem demonstrando pressa para a conclusão da obra no prazo máximo de dois meses. Caso a empresa atrase na entrega dos módulos, o contrato prevê aditivos ao custo global de R$ 1,3 milhão.

Enquanto o governo acertava os detalhes para a construção dos “módulos de encontros íntimos” em presídios, o Maranhão registrou quase 210 mil casos do novo coronavírus com quase 4,8 mil mortes provocadas pela doença.

Publicidade

No dia 28 de janeiro deste ano, o governo do Maranhão assinou o seu terceiro contrato de 2021 com a empresa Etech Construção. Ainda de acordo com a coluna de Cláudio Humberto, o dinheiro para a construção dos módulos para os detentos saiu do bolso do Ministério da Justiça, após um pedido feito pelo governador do Maranhão, Flávio Dino.

Publicidade

Na terça-feira, 2, mesmo diante da alta no número de casos da Covid-19 no estado, Dino descartou uma adoção do lockdown no Maranhão, pelo prazo de pelo menos 14 dias. Ao falar no assunto, o governador disse constatar o crescimento de casos, por isso, definiram “medidas relativas à ampliação de leitos” e outras medidas de segurança, contudo, ressaltou que o governo não cogita um novo Lockdown, neste momento.

Publicidade

Publicidade
Publicidade