in

Sogro de mulher que foi assassinada pelo marido por conta de futebol teria roubado pertences dela durante velório

Crime de morte ocorreu no último domingo (31) em apartamento situado no bairro São Domingos, em São Paulo.

Reprodução Record TV / Arquivo Pessoal Érica

O caso de morte da empresária palmeirense Érica Fernandes, que teve a vida ceifada no último domingo (31), em São Paulo após uma discussão com o marido, chocou o país, e deixou familiares desolados. Ela e o marido teriam se desentendido depois de chegarem de uma festa de comemoração do título do Palmeiras na Copa Libertadores, e a vítima acabou sendo assassinada a facadas.

Publicidade

Nesta semana, familiares de Érica registraram um boletim de ocorrência contra o pai de Leonardo Souza Ceschini, marido da empresária e suspeito pelo crime, por “furto do espólio de Érica”.

No boletim de ocorrência que o portal UOL teve acesso exclusivo, a família da vítima apontou que Alexandre Estevam Ceschini levou um veículo Jeep Renegade, de propriedade de Érica, duas TVs, uma panela elétrica, uma air fryer, uma cafeteira e um micro-ondas do interior do apartamento onde o casal vivia com os filhos gêmeos, de 2 anos, e onde Érica foi assassinada. 

Publicidade

Além dos objetos, as certidões dos gêmeos foram levadas, bem como a CHN da vítima. Os familiares de Érica ainda deram falta de joias dela. 

Publicidade

Frieza

A família da vítima aponta que o pai de Leonardo, acompanhado de uma pessoa ainda desconhecida agiu no mesmo horário em que era realizado o velório e sepultamento da empresária, ocorrido na manhã da última segunda-feira (1).

Publicidade

“Meu esposo fez o B.O do furto, que só ficamos sabendo quando fomos limpar o apartamento. Eles tiveram a frieza de pisotear sobre o sangue da Érica, da minha irmã, que estava no chão, pensando apenas em bens materiais”, desabafou Aline Fernandes, irmã de Érica. 

Preso

Acusado do crime bárbaro contra a sua mulher, Leonardo Souza Ceschini, segue preso. Depois de apresentar uma versão falsa sobre o ocorrido, ele assumiu a autoria do crime, confessando que tirou a vida de Érica Fernandes. 

Publicidade
Publicidade