in

Auxílio Emergencial: Guedes se reúne com presidente do Senado e traz novidade sobre prorrogação

Benefício pode ter retomada de pagamentos em breve; ministro da Economia falou sobre o tema em entrevista.

Agência Brasil - Montagem: Cido Vieira

A discussão acerca de uma possível extensão do Auxílio Emergencial é o grande assunto do momento. Diante de um cenário de crise da economia nacional, milhares de brasileiros ainda alimentam esperança de uma nova rodada de pagamentos do benefício.

Publicidade

Nesta quinta-feira (04), o ministro da Economia, Paulo Guedes, se reuniu com o recém-eleito presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) para debater vários temas, entre eles o futuro do Auxílio Emergencial. 

Novos moldes

Segundo Guedes, os novos pagamentos do benefício é possível, mas com a dependência da criação de um novo marco fiscal, que trave outros gastos do governo. 

Publicidade

O líder da pasta ainda pontuou que a prorrogação do Auxílio atende somente metade do público contemplado no ano passado. Ou seja, o número de beneficiários cairia da casa dos 64 milhões para 32 milhões de brasileiros.

Publicidade

“Os invisíveis, esses nós estamos focalizando a ajuda. É possível, temos como orçamentar isso, desde que seja dentro de um novo marco fiscal, robusto o suficiente para enfrentar eventuais desequilíbrios”, afirmou Guedes.

Publicidade

O ministro da Economia revelou que o governo está pronto para agir em caso de piora da pandemia, mas não detalhou qual seria os critérios para essa piora ser admitida. 

O intuito da ala econômica do governo Jair Bolsonaro é incluir uma cláusula de calamidade pública dentro da PEC Emergencial, que vem com gatilhos de ajustes fiscais em momentos delicados no aspecto financeiro.

No Congresso Nacional, vários projetos já foram protocolos pedindo a volta do Auxílio Emergencial. A casa teve as eleições presidenciais para Câmara e Senado na última segunda-feira (01), e deve debater o tema brevemente.

Publicidade