in

5 pessoas morrem de Covid-19 em menos de 24 horas dentro de UPA no Pará

Pacientes estavam em estado grave e aguardavam transferência para a UTI de hospitais.

Reprodução Globo

A Covid-19 continua tirando a vida de muitos brasileiros. Desde março do ano passado, quando a primeira morte em decorrência da doença causada pelo coronavírus foi registrada no Brasil, mais de 225 mil pessoas perderam a vida. O Brasil é o segundo em número de óbitos no mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos.

Publicidade

Depois de cerca de dois meses com queda nos óbitos, o número de mortes voltou a aumentar em novembro. Atualmente, a média móvel de mortes é de mais de mil por dia. Em meio a tantas mortes, algumas histórias se destacam. Uma delas foi noticiada no Jornal Nacional desta quarta-feira (3).

Em uma unidade de pronto atendimento (UPA) de Santarém, no Pará, cinco pacientes morreram em menos de 24 horas. Um deles foi o senhor José de Oliveira, de 54 anos, que ficou quatro dias na UPA aguardando para ser transferido para a unidade de terapia intensiva (UTI) de um hospital que atendesse casos de alta complexidade.

Publicidade

“Perdemos o nosso pai, de uma forma que a gente não deseja para ninguém: sepultar alguém sem poder vê-lo”, disse Antônio de Oliveira, filho do senhor José. A direção da UPA afirmou que o estado dos cinco pacientes que morreram no local era grave e que precisavam ser atendidos em hospitais.

Publicidade

Um hospital de campanha que deveria ter sido aberto essa semana em Santarém só vai começar a funcionar no fim do mês. Para desafogar a UPA, a prefeitura de Santarém abriu uma ala somente para atendimento a pacientes com Covid-19 no hospital municipal. A cidade de Santarém, a exemplo de outras no Pará, está em lockdown. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!