in

Auxílio Emergencial: Paulo Guedes topa prorrogação do benefício em 2021 e novos detalhes são revelados

Benefício teve calendário de pagamentos residuais concluído na última semana de janeiro.

Agência Brasil - Caixa

A possível retomada dos pagamentos do programa Auxílio Emergencial tem agitado os bastidores da política nas últimas semanas e deixado milhares de brasileiros na expectativa. Nesta segunda-feira (01), o Congresso Nacional definiu através de pleito eleitoral os novos presidentes da Câmara e do Senado, que se mostraram engajados na volta do programa, mesmo sendo apoiados pelo presidente Jair Bolsonaro, que tem sido contra à extensão.

Publicidade

Nesta quarta-feira (03) a colunista Thaís Oyama, do UOL, publicou em blog que de acordo com uma fonte do Palácio do Planalto, o ministro Paulo Guedes já deu o sinal positivo para estender o benefício em 2021. Contudo, o responsável pelo Ministério da Economia, que esteve reunido com os recém-eleitos Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (DEM-MG), elencou duas condições para autorizar a prorrogação do Auxílio Emergencial.

Segundo a colunista, a primeira delas é que o teto de gastos seja mantido, como já foi sinalizado anteriormente. Sendo assim, o recurso para pagar uma nova rodada de pagamentos do Auxílio teria que vir da abertura de crédito extraordinário.

Publicidade

A segunda condição é que o Congresso destrave as reformas propostas pelo governo federal, em especial a administrativa.  

Publicidade

Projetos apresentados

Nas últimas semanas, durante a corrida eleitoral no Congresso, diversos parlamentares apresentaram projetos de lei, tendo como objetivo comum a prorrogação do Auxílio Emergencial. Os pedidos foram protocolados, e devem ser pautados em breve na casa, que retomou as suas atividades na última segunda-feira (01). 

Publicidade

Nos bastidores, há uma grande pressão de deputados e senadores para viabilizar novos pagamentos do benefício. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade