in

Vizinhos contam como eram pais de criança encontrada nas fezes em barril: ‘Ninguém podia passar do portão’

O caso tem revoltado a população no Brasil inteiro desde que foi exposto pela mídia.

UOL

Um caso revoltante acaba de ser descoberto pela polícia e rapidamente se tornou um dos assuntos mais comentados do Brasil. Uma criança foi encontrada jogada às fezes e sem comida dentro de um barril na periferia de Campinas, em São Paulo.

Publicidade

O caso aconteceu no bairro Jardim Itatiaia e deixou os moradores da região apavorados com a crueldade do pai adotivo e da madrasta da criança, que até o momento não teve identidade revelada por ser menor de idade.

O menino estava há vários dias preso no barril. O caso foi descoberto pela Polícia Militar, que foi até o local e resgatou a criança. A vítima viu o Reveillón apenas por um buraco na parede, pois não pôde sair do local onde estava.

Publicidade

A UOL foi até o bairro onde o caso foi descoberto e falou com moradores da região, que preferiram não se identificar. Eles deram algumas informações a respeito de como era a rotina do casal, que para os vizinhos não pareciam ser capazes de fazer o que fizeram.

Publicidade

Uma das moradoras, que não permitiu ser fotografada, relatou que o pai da criança era pouco visto, mas que sua esposa, a madrasta, parecia ser uma pessoa gentil: “Na sexta-feira (29) ela nos chamou para entregar café, bolo e alguns biscoitos. Ela sempre preparava comida para distribuir pelo bairro“, disse.

Publicidade

A vizinha ainda relatou que o casal não permitia a entrada de nenhuma pessoa na casa. Ela conta que achava se tratar apenas de um ato de discrição dos dois, apesar de achar o fato bastante estranho: “Nunca entrei lá, nem ninguém aqui no bairro podia passar do portão“, relata.

Outra vizinha deu entrevista e contou que o casal estava sempre reclamando do menino, afirmando que ele era hiperativo. Depois de pouco tempo, uma desconfiança começou a surgir, pois, a criança não estava mais saindo para brincar na rua, como de costume. Os moradores ainda relataram que viram um “vulto” na parece há algum tempo.

A criança, que tem apenas 11 anos de idade, estava com mãos e pés amarrados quando foi encontrada pelas autoridades. A polícia disse que havia vários cachorros na residência, que pertenciam à mulher do pai do menino.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Aurilane Alves

Escrevo sobre os assuntos mais bombados do momento, famosos, curiosidades, notícias em geral.