in

Bolsonaro volta apelar para evitar greve dos caminhoneiros: ‘Os senhores também vão perder’

Mesmo apelando pela segunda vez, Jair Bolsonaro se mantém irredutível sobre uma das principais reivindicações dos caminhoneiros.

REUTERS/Ricardo Moraes

O presidente Jair Bolsonaro voltou a apelar para que os caminhoneiros não façam a greve que está marcada para ter início na segunda-feira, 1. No sábado, 30, mesmo fazendo o pedido aos profissionais, Bolsonaro se manteve irredutível em não reduzir os tributos sobre o preço do óleo diesel.

Publicidade

Vale lembrar que a baixa no preço do combustível é uma das principais reivindicações feitas pela categoria. Segundo Bolsonaro, a redução do valor acabaria resultando na perda de receita bilionária aos cofres públicos.

“A gente apela para os caminhoneiros”, começou o presidente, ressaltando saber que a categoria é “o sangue que leva o progresso”. O chefe do Executivo diz que não é ele que irá perder caso a greve dos caminhoneiros realmente tenha início, na verdade, “o Brasil vai perder”. “Os senhores [caminhoneiros] também vão perder”, diz o presidente. As informações foram divulgadas pelo jornal Folha de S. Paulo.

Publicidade

Bolsonaro diz ainda que a redução do PIS/Cofins incidentes sobre o combustível acabaria resultando na perda de uma receita da ordem avaliada em R$ 26 bilhões. O mandatário diz ainda que a Receita lhe apresentou onde ele poderia achar parte desse recuso, contudo “é cobrir um santo e descobrir outro”.

Publicidade

Ressaltando não saber se está correto, já que ainda precisa falar com o ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre o assunto, Bolsonaro diz que gostaria muito caso não tivesse um “impedimento na Lei de Responsabilidade Fiscal” de, ao diminuir imposto, ser obrigado a achar uma outra fonte que compense o que foi diminuído em certo local.

Publicidade

Vale lembrar que esta não foi a primeira vez que Jair Bolsonaro faz um apelo para que a categoria não entre em greve.

Publicidade