in

Será que as crianças vão ser vacinadas ainda em 2021? Especialista explica situação

As crianças e adolescentes ainda não foram incluídos no plano de imunização contra a Covid-19.

Olhar Digital

A vacina contra a Covid-19 começou no Brasil neste mês de janeiro. Após tantas mortes em virtude da doença, o imunizante acende uma esperança na vida da população. Foi uma grande emoção para a nação brasileira quando a enfermeira Monica Calazans, de 54 anos, recebeu a primeira dose no dia 17 de janeiro.

Publicidade

A imunização ocorreu logo depois do evento que autorizou o uso emergencial da vacina CoronaVac. A semana seguiu com vários estados do Brasil podendo dar o pontapé inicial na imunização. No entanto, vale ressaltar que nessa primeira etapa, somente os trabalhadores que estão na linha de frente contra a doença vão ser vacinados.

A maior parte da população deseja saber qual é o seu lugar na fila da vacinação. Com a possibilidade da reabertura das escolas no começo do ano, nos meses de fevereiro e março no país, os pais estão preocupados e querem entender se os pequenos vão ou não ser vacinados contra a Covid-19 neste ano de 2021.

Publicidade

Os especialistas no assunto já deixaram claro em sua maioria que neste primeiro momento, que pode inclusive durar alguns meses, as crianças não serão imunizadas contra a doença. Ainda não há estudos clínicos que contemplem o público o infantil. “As crianças não correspondem a uma população mais vulnerável de desenvolver formas graves da covid-19, então não há nenhuma perspectiva de vaciná-las. Portanto, não há nem estudos e nem interesse em vaciná-las neste momento”, explicou o Doutor Renato Kfouri.

Publicidade

Por enquanto, os pais vão precisar conter a ansiedade e aguardar a inserção das crianças e adolescentes no plano de imunização. O especialista explicou que o cenário ainda é de muita incerteza e cheio de ‘talvez’. Pode ser que no ano de 2022 os pequenos sejam vacinados, talvez o vírus suma ou se torne algo endêmico como é a gripe e com isso somente os grupos considerados mais vulneráveis passem a ser imunizados.

Publicidade

O médico ainda ressaltou a decisão da maior parte dos países de manter as escolas funcionando de maneira normal, já que as crianças são menos afetadas pelo vírus da Covid-19.

Publicidade
Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.