in

Garotinha de 9 anos morre após tomar sorvete e pai desabafa: ‘É tão difícil’

A menina acabou fazendo a ingestão de doses letais para o seu organismo ao consumir o produto.

The Sun

Uma pequena estudante de apenas nove anos morreu de forma trágica durante o período de férias na Espanha. De acordo com o Mirror, o fato ocorreu no mês de fevereiro do ano de 2019, porém o inquérito somente foi finalizado nesta última semana. Conforme as investigações, a criança perdeu a vida por causa de uma reação alérgica após ter lambido um sorvete.

Publicidade

A pequena Habiba Chishti estava em um passeio de férias na Espanha acompanhada da família. O pai da menina, Wajid Azam Chishti, que é medico, disse ao tribunal que comprou um sorvete para a filha. A criança tinha alergia a nozes e ovos e também sofria com asma, porém os pais disseram que ela estava bem para poder comer a guloseima.

O pai disse que perguntou para o vendedor se o produto continha nozes e a resposta teria sido não. Contudo, horas após ter ingerido o sorvete a menina acabou desmaiando no hotel e precisou ser levada às pressas para o hospital. Apesar de todos os esforços dos médicos, a menina acabou morrendo. Habiba faleceu de choque anafilático, dois dias depois. O choque é uma reação severa alérgica aos ingredientes contidos no sorvete.

Publicidade

A investigação que foi realizada concluiu que a garotinha havia consumido uma quantidade letal de amendoim, avelãs, amêndoas, castanhas de caju e pistache. A ingestão dos alimentos privou o cérebro da criança de oxigênio. O pai relatou ter ficado arrasado por não ter conseguido fazer nada para salvar a vida da própria filha. O homem relatou que a menina não teve nenhum sintoma de choque anafilático antes do desmaio repentino. “É incompreensível. Com tudo o que aprendi, parece que é duplamente pior. Ainda é tão difícil. Nesse sentido, sinto-me ainda mais devastado por não termos visto o que estava acontecendo”, lamentou o pai da criança.

Publicidade

A família tinha o costume de viajar de férias a cada seis meses, mas desde a morte da menina tudo acabou mudando. Somente agora, eles têm tentado seguir com a vida.

Publicidade
Publicidade