Auxílio emergencial de R$ 200: o novo plano do governo para retornar com o benefício

Muitos brasileiros alegam que estão em dificuldade por causa da pandemia e precisam continuar contando com o auxílio.

PUBLICIDADE

O Ibovespa enfrentou uma série de pregões negativos, caindo para 116 mil pontos e isto é resultado das incertezas fiscais, além do avanço lento da campanha de vacinação contra a Covid-19. Espera-se que com a população brasileira imunizada contra a Covid-19, a vida comece a voltar ao ‘normal’, mas por enquanto só profissionais da área de saúde e idosos terão direito ao imunizante e mesmo assim não foram todos que receberam.

PUBLICIDADE

Isso impacta diretamente a recuperação da economia brasileira e deixa o futuro incerto. Outro problema é a indefinição relativa às eleições do Senado e da Câmara, que acabam fazendo com que os investidores fiquem mais cautelosos.

É neste cenário que o governo vem sendo pressionado para retornar com o auxílio emergencial, mas a equipe econômica já se mostrou contra, uma vez que teria um forte impacto negativo no déficit fiscal, comprometendo ainda o teto de gastos.

De acordo com uma reportagem do Valor Econômico, existe no governo um estudo para trazer um novo auxílio emergencial caso a situação da pandemia piore ainda mais.

Esse estudo leva em consideração alguns fatores para retornar com o benefício, por exemplo, o número de beneficiários seria bem menor e o valor ficaria em R$ 200, que é próximo ao do Bolsa Família, sendo pago por no máximo três meses.

PUBLICIDADE

Somado a tudo isso está a inflação e esse conjunto de problemas faz com que os investidores evitem apostar muito na economia brasileira, o que é um grande prejuízo para o país.

Por enquanto não há nenhuma previsão de quando aconteceria o retorno do auxílio emergencial e os brasileiros em dificuldade financeira devido à pandemia, precisarão continuar esperando.