in

Bolsonaro anuncia a chegada de 5,4 mil litros de insumos da Coronavac e agradece sensibilidade da China

Jair Bolsonaro (sem partido), que já ironizou a Coronavac por diversas vezes, usou seu Facebook para anunciar a chegada do material para a vacina.

Facebook/ Jair Messias Bolsonaro

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), usou o seu perfil oficial no Facebook para revelar ter sido informado pela baixada chinesa de que 5,4 mil litros de insumos para a produção da vacina Coronavac serão destinados ao Brasil em breve.

Publicidade

De acordo com a publicação de Bolsonaro, realizada nesta segunda-feira, 25, o material já se encontra em área aeroportuária “para pronto envio ao Brasil”. O mandatário afirma que os produtos chegarão ao Brasil já nos próximos dias.

Além de falar sobre a produção da vacina chinesa, Bolsonaro também comentou sobre os insumos para a vacina da AstraZeneca, com a Universidade Oxford, e afirmou que o material também está sendo liberado de maneira acelerada.

Publicidade

Diante da declaração, o mandatário agradeceu a “sensibilidade do governo chinês” e o empenho dos ministros, Eduardo Pazuello, da Saúde, Ernesto Araújo, das Relações Exteriores, e Tereza Cristina, da Agricultura.

Publicidade

Na sua publicação, Bolsonaro anexou uma foto ao lado do presidente da China, Xi Jinping, que foi tirada em outubro de 2019, durante uma de suas visitas a Pequim.

Publicidade

– A Embaixada da China nos informou, pela manhã, que a exportação dos 5400 litros de insumos para a vacina Coronavac foi…

Posted by Jair Messias Bolsonaro on Monday, January 25, 2021

Vale lembrar, Jair Bolsonaro já criticou e ironizou a vacina de origem chinesa por diversas vezes. Em uma de suas declarações mais recentes sobre o imunizante, que aconteceu no dia 13 de janeiro, Bolsonaro questionou a apoiadores se “essa [vacina] de 50% é uma boa?”. Na ocasião, Bolsonaro também chegou a afirmar estar apanhando e recebendo críticas por causa do imunizante há quatro meses. Vale ressaltar que as declarações ocorreram antes da Coronavac ter sido aprovada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Publicidade
Publicidade
Publicidade