in

Ileso em trágico acidente com ônibus que matou 19, motorista é levado para prestar depoimento na delegacia

Acidente ceifou a vida de 19 pessoas e deixou sete pessoas feridas em estado grave.

G1

Responsável por dirigir o ônibus que se envolveu em um trágico acidente na manhã desta segunda-feira (25), na BR-376, em Guaratuba, no litoral paranaense, o motorista foi encaminhado para a delegacia do município para prestar depoimento sobre a ocorrência. A informação foi revelada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). 

Publicidade

Segundo as últimas informações divulgadas pela Polícia Militar do Paraná, até o fechamento desta matéria, 19 óbitos haviam sido contabilizados, e outras 33 pessoas ficaram feridas, sete delas em estado grave. Os sobreviventes foram encaminhados para unidades hospitalares nos municípios vizinhos. 

O motorista de 68 anos não sofreu nenhum tipo de ferimento. De acordo com a Polícia Civil, ele deve prestar depoimento ao longo da tarde. Além dele, o coletivo que viajava de Ananindeua (PA) até a cidade de Balneário Camboriú, em Santa Catarina, contava com outro motorista. O estado de saúde dele, no entanto, não foi revelado. 

Publicidade

O ônibus transportava 54 passageiros no momento do acidente, e acabou perdendo o controle na altura do Km 668 da BR-376, no trecho conhecido como Curva da Santa. Segundo as autoridades, o veículo perdeu o controle sozinho, bateu contra a mureta de proteção e tombou em uma ribanceira às margens da rodovia

Publicidade

Poderia ter sido pior

Segundo informações do capitão do Corpo de Bombeiros responsável por atender a ocorrência, Ícaro Grenert, o cenário da tragédia poderia ter sido ainda pior, tendo em vista a proximidade do local do acidente com o rio que corta o trecho da via.

Publicidade

“A gente não tem como falar se foi uma falha mecânica ou o que aconteceu. Ele caiu na ribanceira. Felizmente ele não caiu rio abaixo, que dá pelo menos 50 metros, então esse número de óbitos seria bem mais significativos”, afirmou o socorrista.

De acordo com Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), o coletivo possuía licença para viajar transportando passageiros.

Em nota, a TC Turismo, proprietária do ônibus, disse que alugou o veículo para uma outra empresa e prometeu dar suporte às vítimas do trágico acidente.

Publicidade
Publicidade
Publicidade