in

Investigado, secretário de Saúde que vacinou a própria esposa pede exoneração

Na última sexta-feira, 22, Assis Filho Silva se pronunciou após ter vacinado a mulher da sua vida e disse que daria sua vida por ela.

Reprodução/Facebook

O secretário municipal de Saúde, Assis Silva Filho, de Pires do Rio, município localizado no sudeste do estado de Goiás, pediu a exoneração do cargo neste domingo, 24. O pedido vem dois dias após ele ter usado as redes sociais para pedir desculpas por ter vacinado a própria esposa, que não pertence ao grupo prioritário da primeira etapa da campanha de vacinação contra a Covid-19.

Publicidade

Nas redes sociais, o agora ex-secretário municipal de Saúde afirmou que realizou a imunização com o intuito de resguardar a vida da mulher da sua vida. Além disso, Assis também afirmou: “sou capaz de dar minha própria vida por ela”.

Em seu pedido de exoneração, Assis faz questão de ressaltar que a sua decisão de abandonar o cargo é “irrevogável” e “irretratável”.

Publicidade

Após a notícia, a equipe de reportagem do G1 tentou contato com Assis, no entanto, não teve sucesso. Além disso, o nome da esposa do ex-secretário também não foi divulgado.

Publicidade

Cida Tomazini, prefeita de Pires do Rio, afirmou que o pedido de exoneração de Assis foi acatado.

Publicidade

A decisão de Assis também vem dois dias após a Justiça de Goiás ter concedido uma liminar para tirar o até então secretário do seu cargo por dois meses, isso enquanto o Ministério público (MP-GO) investiga o fato dele ter “furado fila” para vacinar sua companheira contra a doença.

De acordo com o promotor de Justiça de Pires do Rio, Marcelo Borges Amaral, mesmo após a exoneração, a investigação que corre dentro do órgão contra Assis Filho continua. “A exoneração não interfere em nada na apuração do crime”, afirmou Marcelo.

Publicidade
Publicidade
Publicidade