in

Família cobra justiça após menina de 16 anos morrer em motel; combinado era comer batatas no shopping

A garota foi encaminhada à UPA com forte hemorragia, mas chegou ao local sem vida.

RIC Record TV/Reprodução | L.I.Z/Redes Sociais

A jovem L.I.Z, de 16 anos, morreu nesta quarta-feira (20) após sair com um rapaz de 29 anos para um passeio no shopping. Ao contrário do que havia informado à mãe, o casal esteve em um motel de Pinhais, região metropolitana de Curitiba (Paraná), onde a adolescente morreu. Lucas Nascimento de Carvalho chegou a conduzi-la até uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento), mas a garota deu entrada à unidade sem vida, acometida por uma forte hemorragia.

Publicidade

Para a família, não restam dúvidas de que se tratou de um assassinato. A defesa de Lucas, por sua vez, afirma que o suspeito está abalado com o ocorrido, declarando sua inocência e dizendo que exames preliminares feitos no corpo da adolescente descartaram a existência de lesões. Após deixar L na UPA, Lucas teria tentado fugir, sendo abordado pelos familiares da menina.

Em entrevista para a RIC RecordTV, a avó de L, Maria Antônia Ziamini, desabafou sob forte comoção. “Ele tirou de mim, da minha família, a joia mais rara que pode ter acontecido. O que ele fez, ele acabou de enterrar a avó, o pai e a mãe. Porque ela era a mais preciosa que tinha”, disse a idosa, aos prantos.

Publicidade

Mãe de L fala em homicídio

Ana Paula Ziamini afirma que L e Lucas se conheceram pelas redes sociais. Antes de sair de casa, disse que os dois iriam ao shopping para um passeio pela praça de alimentação e, na sequência, assistiriam a um filme, retornando para casa. Para a mãe, a rota tomada pelo casal e o intervalo de tempo desde a saída de casa até a notícia da morte evidenciam a ocorrência de um crime.

Publicidade

“Eu acredito sim, que ela foi assassinada. Minha filha saiu de casa 13h10 para ir a um shopping. Quando foi 14h14 eu já estava dentro do Uber de Pinhais – minha filha já estava morta. Minha filha teve uma hemorragia tão forte que, quando ela chegou na UPA, já estava em óbito. Eles tentaram reanimar ela por muito tempo, enquanto eu estava lá fora”, desabafou a familiar.

Publicidade

O acusado foi liberado na manhã desta quinta-feira (21) após detenção durante a tentativa de fuga. A Polícia Civil aguarda o resultado dos laudos realizados pelo IML (Instituto Médico-Legal) para dar sequência aos trabalhos de investigação, apurando as causas da morte e eventual ocorrência de crime de assassinato.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Henrique Furtado

Henrique Furtado é um redator com vasta experiência no jornalismo online. Solidificou sua carreira com coberturas marcantes sobre os principais acontecimentos no Brasil e no mundo ao longo da última década. Suas especialidades englobam desde os bastidores da política, versando por esportes, atualidades e, claro, tudo o que acontece no mundo dos famosos. Está sempre ligado para entregar, em primeira mão, as últimas novidades para os seus leitores, 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano.

Contato: henriquefurtado.jornalista@gmail.com