in

Auxílio Emergencial: Guedes deve tomar medida decisiva para prorrogar benefício; nova proposta será apresentada

Benefício no momento segue apenas com o cronograma de liberação de saques e transferências.

Agência Brasil - Montagem: Cido Vieira

O assunto acerca de uma possível extensão do Auxílio Emergencial em 2021 continua movimentando os bastidores do Congresso Nacional e deixando milhares de brasileiros esperançosos, quanto a uma possível continuidade do programa.

Publicidade

Nesta segunda-feira (18), o candidato à presidência da Câmara dos Deputados, Baleia Rossi (MDB-SP) afirmou que o ministro da Economia, Paulo Guedes, deve efetuar uma proposta de nova rodada do benefício para este início de ano.

Segundo Rossi, cabe ao responsável pela pasta e sua equipe apresentar uma sugestão para que o Auxílio volte a ser pago cumprindo as exigências de não romper o teto de gastos. Ou seja, a regra que impede que as despesas aumentem em ritmo superior à inflação. 

Publicidade

De acordo com Baleia Rossi, a sinalização de que o Auxílio Emergencial voltará a ser pago foi dada pelo seu concorrente na disputa pela Câmara, o deputado Arthur Lira (PP-AL)

Publicidade

“Quando Lira vem e copia o que eu falo, não acredito que ele tenha feito isso sem um comando do Palácio”, disse Baleia, que vem defendendo o retorno do Auxílio Emergencial. 

Publicidade

Em coletiva dada na última segunda-feira (18), Lira falou sobre uma possível extensão temporária do Auxílio Emergencial por um ou dois meses, mas desde que cumpra a Responsabilidade Fiscal.

O governo

Até o momento, o governo federal, através do presidente Jair Bolsonaro já manifestou diversas vezes que não tem pretensões de continuar com o Auxílio Emergencial em 2021, tendo em vista os altos gastos com o programa, que contemplou 68 milhões de brasileiros nos últimos meses. Ainda em recesso, o Congresso Nacional já recebeu diversos projetos de lei feitos por deputados e senadores, solicitando a prorrogação do Auxílio. A Casa, no entanto, pode nem pautar os pedidos. A volta das atividades será no dia 1 de fevereiro. 

Publicidade
Publicidade