in

Empregos perdidos no setor de eventos superam Ford em quase 80 vezes e setor prepara missão a Brasília

Os empregos afetados no segmento superam em quase 80 vezes os perdidos com o fechamento das fábricas da Ford no país.

Correio do Povo

A Associação Brasileira de Promotores de Eventos (ABRAPE) está organizando uma missão a Brasília, com associados de todo o Brasil, para conscientizarem os deputados federais sobre a urgência de se aprovar o Projeto de Lei que cria o Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos – PERSE, de autoria do deputado federal Felipe Carreras (PSB/PE). Eles estarão na capital federal entre os dias 8 e 10 de fevereiro.

Publicidade

Criada em 1992 com o propósito de promover o desenvolvimento e a valorização das empresas produtoras e promotoras de eventos culturais e de entretenimento no Brasil, a Associação Brasileira dos Promotores de Eventos – ABRAPE tem, atualmente, 400 associados, sediados em todos os Estados da Federação, que são verdadeiros expoentes nacionais na oferta de empregos diretos e indiretos e na geração de renda, movimentando bilhões de reais anualmente. A entidade congrega as principais lideranças regionais e nacionais do segmento, tem no portfólio de associados empresas como a Live Nation, Opus Entretenimento, T4F e mega eventos, como o Festival de Verão de Salvador e a Festa do Peão de Boiadeiros de Barretos.

Responsável por 4,32% do PIB nacional e um universo de aproximadamente 60 mil empresas em todo o País, o setor de eventos de cultura e entretenimento está com 97% das atividades completamente paralisadas pela pandemia e mais de 450 mil postos de trabalhos formais, entre diretos e indiretos, já foram exterminados.

Publicidade

Os empregos afetados no segmento superam em quase 80 vezes os perdidos com o fechamento das fábricas da Ford no país, com risco de perder mais 80 se nada for feito para proteger o setor.  

Publicidade


“A aprovação do Programa é essencial para promover crédito, preservação dos empregos, manutenção do capital de giro das empresas, financiamento de tributos e desoneração fiscal. Somente dessa forma, será possível evitar o colapso total do setor”,
reforça o empresário e presidente da ABRAPE, Doreni Caramori Júnior.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Anna Müller

Bastante ativa nas redes sociais, escrevo conteúdo sobre os mais diversos assuntos para a plataforma i7 Network.