in

Repórter da Folha entra de jaleco em hospital de Manaus, encontra caos e pacientes abanados com papelão

Repórter da Folha passou pr experiência impactante em hospital de Manaus.

Folha de São Paulo

Repórter da Folha entra em hospital de Manaus com jaleco, relata caos e doentes sendo abanados com papelão para espantar o calor.

Publicidade

Espremidos em uma sala minúscula no hospital de Platão Araújo, um grupo de pacientes com Covid-19 lutavam para encontrar o ar. A indisponibilidade de cilindros de oxigênio, além da nova onda de casos, casou uma crise no sistema de saúde da cidade.

Os acompanhantes de pacientes internados, protegidos apenas pela máscara que usavam, se valiam de pedaços de papelão para abanar os parentes e fazê-los amenizar o calor que sentem por conta do calor amazônico.

Publicidade

Idoso internado no hospital de Manaus acreditou que não sobreviveria

Um idoso, sentado em uma cadeira de rodas, chegou a dizer que não sobreviveria desta vez, mas foi rebatido pela técnica de enfermagem, que afirmava estar positiva na recuperação de todos os pacientes internados.

Publicidade

Segundo a Folha, que conversou com um dos pacientes internados, que estava bravo por não tomar os remédios, o rapaz se queixava por não ter tomado nada e ainda acusar o hospital de irresponsabilidade, pois não haviam localizado seu prontuário.

Publicidade

Repórter da Folha fez descobertas surpreendentes em hospital

No sábado, 16 de janeiro, o repórter da Folha, sem se identificar, entrou no hospital com a ajuda da irmã de um dos pacientes, que trabalha como enfermeira e lhe emprestou o jaleco, mas afirma que em nenhum momento se identificou como médico ou enfermeiro.

O que se viu foi um monte de pessoas esperando para serem atendidos, mas em nenhum momento teve um respiro nos atendimentos. O repórter também encontrou dois técnicos do Samu, que estavam desolados, pois já haviam rodado o hospital inteiro em busca de macas, mas não encontraram.

Publicidade

Escrito por Rômulo NC

Ator, youtuber e redator, Rômulo N.C é formado pela casa de artes cênicas Recriarte e sempre atuou como escritor de diversos sites.