in

Mulher que foi a primeira pessoa vacinada contra a Covid-19 no Brasil faz desabafo comovente e pedido emociona

Anvisa autorizou o uso emergencial dos imunizantes contra a Covid-19 neste domingo (17).

Leonardo Martins - UOL

O dia 17 de janeiro foi um marco para a história do Brasil na luta contra a pandemia do coronavírus. Em reunião realizada em sua sede, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou o uso emergencial das vacinas de Oxford e CoronaVac. Ao todo, serão 8 milhões de doses, que serão distribuídas em solo nacional nas próximas semanas. 

Publicidade

Minutos depois da agência liberar o uso dos imunizantes, o estado de São Paulo já iniciou a campanha de vacinação na tarde deste domingo (17). Enfermeira em uma unidade hospitalar da capital paulista, Mônica Calazans, de 54 anos, foi a primeira pessoa a receber a vacina CoronaVac.

Ao lado do governador João Doria, a profissional de saúde não escondeu a emoção de ter entrado para a história do país, e pediu que a sociedade aceite a vacinação “sem medo”.

Publicidade

“Sou uma pessoa comum, trabalhando incansavelmente há 10 meses, falo com segurança e com propriedade. Não tenham medo. É a grande chance que temos de salvar mais vidas. Vamos nos vacinar”, disse a enfermeira. 

Publicidade

Mônica trabalha na Unidade de Terapia (UTI) do hospital Emílio Ribas, referência no tratamento da Covid-19 no estado. Residente em Itaquera, bairro da Zona Leste na capital paulista, a enfermeira participou de todos os testes clínicos da CoronaVac, atuando como voluntária. 

Publicidade

Aprovação unânime

Depois de quase quatro horas de reunião, os cinco diretores da Anvisa acataram as solicitações do Instituto Butantan e Fiocruz feitas no dia 8 de janeiro. Em pronunciamento realizado nesta tarde, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, confirmou que o Plano de Vacinação será iniciado nesta quarta-feira (20). 

Publicidade
Publicidade
Publicidade