in

Após menosprezar Coronavac, Bolsonaro muda de ideia e Ministério da Saúde quer todo o estoque da vacina

Ministério da Saúde mandou ofício para o Instituto Butantã exigindo que todo o estoque seja entregue ao Governo Federal.

Reprodução - You Tube

O presidente Jair Bolsonaro, em diversas ocasiões, menosprezou os testes feitos pelo Instituto Butantã sobre a vacina CoronaVac. Nos últimos três meses, foram muitas críticas sobre a eficácia da vacina, inclusive, Bolsonaro desautorizou a abertura de um protocolo, no qual, o ministro da saúde, Eduardo Pazuello teria autorizado a compra de 46 milhões de doses da vacina, fato que teve grande repercussão na imprensa, pois o acordo de compra teria sido firmado entre o ministro e os governadores.

Publicidade

Agora, ao que parece, a percepção do presidente mudou, e segundo informações da CNN Brasil, o Ministério da Saúde enviou um ofício ao Instituto Butantã exigindo que todo o estoque da vacina seja entregue ao governo federal, pois de acordo com o documento, a União é a responsável pela operacionalização do Plano Nacional de Imunização.

Bolsonaro disse que CoronaVac era a vacina chinesa de João Doria

Trazida ao Brasil pelo governador do estado de São Paulo, João Doria (PSDB), a CoronaVac seria utilizada somente no estado de São Paulo, já que Bolsonaro se mostrou irredutível em relação à compra das doses da vacina para aplicação nacional, a chamando de ‘vacina chinesa de João Doria’.

Publicidade

A produção da vacina somente ocorreu após uma parceria entre o Instituto Butantan e farmacêutica Sinovac Life Science, do grupo Sinovac Biotech, de origem chinesa. Agora, os últimos ensaios e testes estão sendo feitos pela Anvisa e a promessa de João Doria é a de que a vacinação comece no próximo dia 20 de janeiro em São Paulo.

Publicidade

Ofício do Ministério da Saúde chegou após adiamento de voo para Índia

Publicamente, Jair Bolsonaro afirmou que traria da Índia, 2 milhões de doses da vacina de Oxford, no entanto, o avião fretado que traria as doses não alçou voo na data prevista, pois é necessário aguardar um período de dois a três dias. A declaração do presidente foi feita na sexta-feira (15), no programa ‘Brasil Urgente’, de José Luiz Datena.

Publicidade

Segundo a CNN Brasil, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Índia, Anurag Srivastava afirmou que exportações da vacina ainda estão muito precoces, pois o programa de imunização indiano ainda está só no começo. 

Publicidade
Publicidade

Escrito por Rodrigo Monteiro

Um dos primeiros redatores da melhor plataforma de jornalismo independente da internet, a I7 network, já trabalhou em outras plataformas, sempre escrevendo notícias em primeira mão para quem gosta de viver bem informado.
Os principais assuntos do mundo esportivo, do mundo dos famosos e da política estão aqui, com textos leves e interessantes, Rodrigo Monteiro faz parte do grupo de colunistas do Radar Esportes, TV Prime, 1News e I7 News quatro portais de notícias mais populares da internet.