in

Vai prorrogar? Relembre cinco declarações de Bolsonaro sobre possível extensão do Auxílio Emergencial em 2021

Benefício vem tendo liberação de saques e transferências, com o calendário vigente até o final do mês.

Agência Brasil - Caixa

O Auxílio Emergencial tem futuro indefinido. Depois de nove meses de pagamentos, o cronograma do programa foi encerrado no último mês. Com o país vivenciando uma situação bastante delicada na luta contra a pandemia e um cenário ainda desconhecido acerca da vacinação, milhares de brasileiros alimentam a esperança de continuar recebendo o benefício.

Publicidade

Nos bastidores do Congresso Nacional, que segue em recesso de final de ano, deputados e senadores estão articulando projetos para viabilizar a renovação do decreto do estado de calamidade pública, o que possibilitaria uma renovação do Auxílio Emergencial.

Vários projetos de lei já foram protocolados, mas ainda não há uma previsão de quando e se eles serão pautados na Casa.

Publicidade

Postura do governo

Apesar dessa movimentação dos parlamentares, o governo federal se mostra contrário à decisão de permanecer pagando o benefício por mais tempo. Questionado sobre o assunto em diversas oportunidades, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi enfático ao dizer que o país não tem condições de estender os pagamentos por mais tempo, tendo em vista o alto endividamento feito por conta do programa. 

Publicidade

“Se voltar o auxílio emergencial, o juro vai subir”, afirmou o presidente à rádio Jovem Pan nesta sexta-feira (15). 

Publicidade

“A gente não aguenta continuar pagando o auxílio emergencial”, pontuou o chefe do Executivo em entrevista dada ao programa Brasil Urgente, da TV Bandeirantes, também no dia de ontem (15).

“Qual país do mundo fez auxílio emergencial? Parecido foi nos Estados Unidos. Aqui alguns querem torná-lo definitivo. Vamos pagar para todo mundo R$ 5 mil por mês, ninguém trabalha mais, fica em casa”, ironizou o presidente no início do mês ao ser questionado por um apoiador no Palácio do Alvorada.

“Querem que a gente renove [o auxílio emergencial], mas a nossa capacidade de endividamento chegou ao limite”, disparou Bolsonaro às vésperas da virada do ano. 

Saques e transferências

Depois do encerramento dos pagamentos das cotas na poupança digital, a Caixa Econômica Federal (CEF) vem liberando o montante para a realização de saques em espécie e transferências para outros bancos. O cronograma de 2021 foi iniciado no dia 4 de janeiro e vai até o dia 27 deste mês, sendo tendo como referência o mês de nascimento dos beneficiários. Ainda restam seis datas, de um total de dez que foram disponibilizadas. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade