in

Médico faz comparação para mostrar como pacientes morrem sem oxigênio: ‘Afogamento’

Profissional de hospital de São Paulo falou sobre morte dos pacientes sem oxigênio.

Veja / Reprodução Globo

A crise sanitária vivida pelo estado do Amazonas é notícia em todo o Brasil e as cenas que chegam de Manaus, capital do estado, são assustadoras. As pessoas estão morrendo por falta de oxigênio em hospitais da cidade que foi uma das sedes brasileiras da Copa do Mundo de 2014.

Publicidade

Manaus vive uma situação extrema com a falta de cilindros de oxigênio em muitos hospitais locais. O oxigênio é fundamental para manter os pacientes vivos. Aqueles que apresentam quadros graves da Covid-19 precisam receber o oxigênio quando o pulmão é gravemente afetado.

O médico pneumologista André Nathan, do Hospital Sírio-Libanês, um dos principais da cidade de São Paulo, contou em entrevista ao G1 qual a importância do oxigênio para o organismo e o que acontece no corpo humano quando o oxigênio é inexistente.

Publicidade

“Poucos instantes depois da falta de oxigênio, de o oxigênio não chegar nas células, a gente perde a função delas. Na prática, o que você tem é uma falência de todos os órgãos”, disse o experiente profissional de saúde. Ele também contou como é a morte da pessoa sem o oxigênio.

Publicidade

“É como um afogamento, matar um indivíduo com um travesseiro na cara, via enforcamento. A pessoa morre por falta de oxigênio”, explicou o médico. Aviões da Força Aérea Brasil (FAB) estão levando cilindros de oxigênio para Manaus para abastecer os hospitais da cidade que vive um colapso de seu sistema de saúde devido à alta no número de casos da Covid-19. Em todo o Brasil, mais de 205 mil pessoas já morreram por causa da doença causada pelo coronavírus.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!