in

Ford é cobrada pelo BNDES por empréstimos de R$ 335 milhões

Segundo a BNDES, os contratos mantidos com a Ford visam a manutenção do emprego e o desenvolvimento de veículo no Brasil

Fábio Motta/Estadão Conteúdos

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) afirmou que cobrou um posicionamento da Ford sobre o anúncio feito recentemente de que a marca fechará as três fábricas que mantinha no Brasil. Segundo o banco de fomento, a empresa recebeu, entre os anos de 2014 e 2017, um investimento de R$ 335 milhões.

Publicidade

De acordo com a BNDES, a montadora teve como objeto alguns projetos destinados ao desenvolvimento de novos produtos da marca no país, fortalecendo assim a engenharia nacional. Além disso, o banco também diz que os contratos feitos com a Ford contêm “cláusulas-padrão que visam à manutenção do emprego” durante todo o período de implementação do projeto o que, segundo o banco, já ocorreu.

Vale ressaltar que os financiamentos, que já passaram da metade do prazo total, são quitados em dia pela montadora.

Publicidade

Contudo, de acordo com a instituição, o banco também mantém outros 30 contratos de financiamento indiretos com a montadora. Nestes 30 contratos, a Ford teria recebido, segundo o banco, R$ 54,2 milhões em financiamentos.

Publicidade

Agora, ainda segundo o BNDES, eles irão aguardar respostas, para que assim avaliem os impactos da decisão da montadora sobre os financiamentos diretos que ainda seguem em curso.

Publicidade

Na última segunda-feira, 12, a Ford anunciou o fechamento das três fábricas que mantinha no Brasil, localizadas em Camaçari, na Bahia, em Horizonte, no Ceará, e em Taubaté, em São Paulo. De acordo com os sindicatos, a decisão da montadora afetará cerca de 50 mil empregos diretos e indiretos no país.

Publicidade
Publicidade