in

Governo dá cartada final sobre Auxílio Emergencial e toma decisão antecipando outros benefícios

Governo federal deve anunciar brevemente outras medidas para contornar o término dos pagamentos do Auxílio.

Agência Brasil - Montagem: Cido Vieira

O término dos pagamentos do Auxílio Emergencial deixou a população brasileira em uma situação de expectativa e incerteza quando à uma possível prorrogação do benefício em 2021. Embora vários parlamentares já tenham protocolados pedidos para tentar a continuidade do programa, o governo federal tem mostrado contrário a essa medida.

Publicidade

De acordo com a colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo, o governo federal já busca alternativas para amenizar o cenário do término do Auxílio Emergencial. A primeira decisão é que o pagamento do 13º salário dos aposentados e pensionistas do INSS será antecipado, bem como o pagamento do abono salarial. 

A colunista informa que a medida já estava em estudo para ser uma medida que viesse compensar o encerramento do Auxílio Emergencial, que atendeu 64 milhões de brasileiros, distribuindo uma quantia na casa de R$ 254 bilhões. 

Publicidade

Recentemente, em pronunciamento, o ministro da Economia, Paulo Guedes, já havia sinalizado que o governo federal buscaria algumas alternativas para atenuar o cenário. Além de comentar sobre a antecipação do benefício de aposentados e pensionistas, o responsável pela pasta falou em uma possível postergação das datas de pagamentos de impostos. 

Publicidade

Quando começa?

De acordo com Mônica Bérgamo, ao que tudo indica, os pagamentos antecipados do 13º de aposentados, pensionistas e do abono salarial comecem entre fevereiro e março. 

Publicidade

A medida, vista como um “desmame” do Auxílio Emergencial se torna viável para o governo, uma vez que não tem custo fiscal, já que os recursos já estavam previstos no orçamento e serão apenas antecipados.

Publicidade
Publicidade
Publicidade