in

Ministro da Saúde causa polêmica ao falar sobre data para o início da vacinação no país e gera revolta

Pazuello discursou nesta segunda-feira (11) em Manaus e despistou sobre início da campanha de vacinação.

AFP

Responsável por comandar o Ministério da Saúde, Eduardo Pazuello vem sendo bastante cobrado por governadores e prefeitos para a viabilização rápida da campanha de vacinação contra a Covid-19 no Brasil.

Publicidade

Apesar de todo o cenário alarmante e de crescimento de novos casos de infecção e morte em decorrência da doença, o chefe da pasta preferiu despistar sobre uma data para o início da campanha de imunização em solo nacional, e agora gerando polêmica e revolta com sua declaração.

Em discurso feito nesta segunda-feira (11), o ministro disse a campanha de vacinação no Brasil será iniciada “no dia D e hora H”.

Publicidade

“Todos o Estados receberão simultaneamente as vacinas, no mesmo dia. A vacina começará no dia D na hora H no Brasil. No primeiro dia que chegar a vacina ou a autorização for feita, a partir de terceiro ou quarto dia já estará nos Estados e municípios”, disse Pazuello em coletiva realizada, em Manaus. 

Publicidade

Cobranças

No último fim de semana, diversos governadores do país se manifestaram pedindo urgência para a definição de um calendário para ser iniciado o processo de imunização em solo nacional. 

Publicidade

Os chefes do Executivo estaduais possuem uma reunião agendada com Pazuello para esta terça-feira (12).

Repercussão

Nas redes sociais, um grande volume de internautas se mostraram irritados com a declaração de Pazuello, e externaram sentimento de revolta, enquanto outros debocharam da frase do ministro. 

“Vocês estão preparados para tomar a vacina no dia D e na hora H??????
BRASIL VIROU UMA CHACOTA MUNDIAL E CULPA É DE QUEM ELEGEU ESSE BANDO DE VAGABUNDO”,
disse um internauta. 

“O atual governo brinca e tira sarro com as mortes e prejudicados pelo fechamento do comércio. Falar que no dia D e na hora H teremos uma vacina é debochar de todo o brasileiro. Absurdo. Inaceitável. Eu não sou de ficar puto por política, mas essa foi demais”, afirmou outro usuário do Twitter. 

Altos índices

Em vários estados do país, a pandemia do coronavírus segue em ritmo acelerado nas últimas semanas. Recentemente, o país atingiu a marca de 200 mil óbitos em decorrência da doença. 

Publicidade
Publicidade