in

Caso de jovem que matou a mãe e deu festa após o crime gera grande revolta: ‘Monstro disfarçado de filho’

Crime ocorreu na madrugada do último sábado (2), mas corpo só foi encontrado quatro dias depois.

UOL - G1 - Montagem Aparecido Vieira

O crime bárbaro ocorrido em Joinville (SC) na última semana causou grande comoção e revolta nas redes sociais. Um jovem de 20 anos matou a própria mãe com um golpe de mata-leão, após um desentendimento. Identificado como Leonardo Schmitz Tasca, o rapaz teve a sua prisão em flagrante convertida em prisão preventiva nesta quarta (06), após confessar o ato criminoso.

Publicidade

Albertina Schmitz Tasca, de 61 anos, foi morta na madrugada do sábado (2). Depois de aplicar o golpe fatal e tirar a vida da própria mãe, o jovem cobriu o corpo dela com um lençol e trancou o quarto onde a vítima estava.

O corpo de Albertina só veio ser encontrado quatro dias depois, quando a filha mais velha da vítima que mantinha contato diário com ela, notou a falta da mãe e a encontrou sem vida coberta por um lençol. 

Publicidade

Festa

De acordo com investigação das autoridades, Leonardo seguiu a vida normalmente após o crime cometido, dando inclusive uma festa para os amigos regada a bebidas alcoólicas na residência. No depoimento, o acusado não mostrou nenhum arrependimento, e disse que cometeu o ato criminoso por conta de uma explosão de raiva após a discussão que teve com a mãe. 

Publicidade

Repercussão 

Nas redes sociais, muitos internautas mostraram revolta com o crime bárbaro cometido pelo filho. 

Publicidade

“Monstro disfarçado de filho. Geração miserável. Não generalizando é claro, toda regra tem exceção, mas está demais essa realidade”, disse uma internauta. “O ser humano está perdido na maldade!!”, desabafou outra. 

“Um cara que tem a capacidade de matar a própria mãe , a meu entender já morreu faz tempo . Agora vai pra cadeia comer nas nossas custas, depois começam as saidinhas”, disparou outro.

Publicidade
Publicidade