in

Filho confessa que matou a mãe com mata-leão; jovem deu festa depois do crime e revelações são chocantes

Leonardo seguiu uma vida normal após ter tirado a vida da própria mãe em Joinville (SC).

G1

Um crime bárbaro ocorrido no último sábado (2), culminou na morte de Albertina Schmitz Tasca, de 61 anos. O acusado do crime foi um jovem de apenas 20 anos, filho da vítima. Na última sexta-feira (8), ele teve a sua prisão preventiva decretada por suspeita de ter assassinado a própria mãe com um golpe de mata-leão. O crime se deu na cidade de Joinville, em Santa Catarina, e chocou os moradores.

Publicidade

Identificado como Leonardo Schmitz Tasca, o jovem confessou o brutal assassinato em depoimento dado à Polícia Civil. O corpo de Albertina, morta na própria residência, só foi encontrado na manhã da última quarta-feira (6), quando a filha mais velha da vítima avistou o cadáver coberto por um lençol no banheiro da casa. 

O sepultamento de Albertina foi realizado na manhã da última quinta-feira (7). A prisão do acusado foi convertida de flagrante para preventiva.  

Publicidade

A investigação

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Roberto Patella Junior, Leonardo alegou que não controlou um surto de raiva após ter tido uma discussão com a mãe no final da noite da sexta-feira (1). 

Publicidade


“No momento em que ela virou de costas, o filho deu um mata-leão nela. Conforme Leonardo contou, ela não esboçou reação, não gritou”,
disse o delegado. 

Publicidade

Depois de ter cometido o crime, o acusado teria colocado um lençol sobre o corpo da mãe e trancado a porta do quarto dela, e se evadido do local, levando dois televisores para vender.

Frieza

Ainda segundo o delegado, Leonardo não mostrou nenhum tipo de arrependimento pelo crime cometido ao dar depoimento. Conforme apuração da polícia, o jovem seguiu a vida normalmente após o crime bárbaro, chegando, inclusive, a realizar festas para amigos na residência, regada de bebidas alcoólicas. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade