in

Bolsonaro ironiza e fala de Auxílio Emergencial de R$ 5 mil; prorrogação do benefício segue em discussão

Benefício atendeu quase 68 milhões de brasileiros no último ano e foi ‘válvula de escape’ da economia nacional.

Agência Brasil

Alento dos brasileiros no ano passado diante do cenário de crise por conta da pandemia do coronavírus, o Auxílio Emergencial segue com futuro indefinido para 2021. Embora o governo tenha se mostrado contra uma nova extensão do programa de ajuda para milhares de brasileiros, parlamentares já movimentam apresentando alguns projetos de lei para garantir a continuidade do benefício.

Publicidade

Depois de já se manifestar diversas vezes mostrando contrariedade sobre a prorrogação do Auxílio em 2021, o presidente Jair Bolsonaro voltou a comentar sobre o assunto nesta quinta-feira (7), e aproveitou para ironizar a continuidade do programa, afirmando que o governo pode passar a pagar R$ 5 mil e nenhum brasileiro vai trabalhar mais. 

“Você é da imprensa? Qual país do mundo fez auxílio emergencial? Parecido, foi [o auxílio emergencial dado] nos EUA, mais ninguém fez. Aqui, alguns querem torná-lo definitivo, são quase 68 milhões de pessoas. No começo, [auxílio no valor de] R$ 600. Então, vamos pagar para todo mundo R$ 5 mil por mês e ninguém trabalha mais, fica em casa. O homem do campo também, vai sair do campo e vai para a cidade, quero ver quem vai produzir”, disse o presidente.

Publicidade

Projetos

Durante as duas últimas semanas, deputados e senadores têm se movimentado para apresentar  propostas que solicitam a prorrogação do estado de calamidade pública e o Auxílio Emergencial. Mesmo sendo protocolados, os projetos ainda não foram pautados no Congresso, e correm o risco de sequer serem discutidos na casa.

Publicidade

Cronograma de saques

Depois de concluir o pagamento dos beneficiários por meio da poupança digital, a Caixa vem realizando a liberação de saques e transferências das cotas do programa. Neste mês de janeiro ainda será disponibilizado mais oito datas, tendo sempre como base o mês de nascimento de cada beneficiário. O cronograma vai até o dia 27 de janeiro, e será retomado na próxima semana.

Publicidade
Publicidade
Publicidade