in

OMS se diz ‘desapontada’ após China barrar entrada de investigadores da Covid-19

Em dezembro, a OMS havia informado que a China daria “as boas vindas” a equipe que investigaria a covid-19, mas não foi isso que aconteceu.

CNN Brasil/ Denis Balibouse

Na última terça-feira, 5, a OMS (Organização Mundial da Saúde) afirmou que a China bloqueou a chegada de uma equipe que pretende investigar a fundo as origens da pandemia.

Publicidade

Segundo Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, dois cientistas que integram a equipe das Nações Unidas já haviam partido de seus países de origem quando acabaram sendo informados que a Justiça chinesa não aprovou as permissões necessárias para que eles entrem no país. Ambos cientistas seguiriam para Wuhan.

Vale ressaltar que todos os arranjos já haviam sido previamente acordados com as autoridades chinesas.

Publicidade

Ao se pronunciar sobre o assunto em entrevista coletiva, Tedros se disse “muito desapontado” com a notícia. De acordo com o diretor-geral, ele esteve em contato com funcionários do alto calão da China, e afirmo que está missão seria prioridade tanto para o órgão, tanto para a equipe internacional.

Publicidade

Mesmo diante da recusa da China em receber os cientistas, Tedros ressalta que a OMS segue ansiosa para dar início a esta missão “o mais rápido possível”. Além disso, ele também afirma ter recebido garantias de que Pequim já tem acelerado o procedimento para um rápido desdobramento.

Publicidade

De acordo com o diretor executivo do programa de emergências de saúde do órgão, Dr. Michael Ryan, ambos cientistas tiveram um problema com seus vistos. Um deles, já estaria em casa, enquanto o outro seguia esperando em trânsito em um terceiro país.

Antes de se deparar com a recusa do país em receber os cientistas, no dia 16 de dezembro de 2020, a OMS havia informado que a China daria “as boas vindas” a equipe que cuidaria da investigação sobre as origens da pandemia.

Publicidade
Publicidade